A resposta que vem de dentro

29 jun

Há exatamente um ano e seis meses eu comecei a meditar. Meditar seguindo uma técnica simples, de concentrar minha mente em um Mantra específico, palavra em Sânscrito (vai se acostumando!) que significa “veículo da mente”. Esse veículo facilita para que você não se perca no emaranhado dos seus pensamentos diários. Nosso diálogo mental é mais ou menos assim: “Tô atrasada de novo! Caramba, como eu consigo me atrasar todo dia… e é claro que vai ter trânsito no caminho pro trabalho né… e eu ainda tenho de ligar para aquele mala do meu cliente assim que chegar… pelo menos a voz dele é rouca e sexy… hum… sexy era o Gianechini na novela ontem. PELO AMOR DE DEUS o que é aquela barriga-tanquinho. Ihhh, falando em tanque, tenho de consertar a máquina de lavar… e a faxineira que nem se dá ao trabalho de lavar os panos de prato” E por aí vai.

 A questão fundamental é: enquanto você se joga nessa teia louca de pensamentos, sua atenção está em todos os lugares possíveis, mas não está no lugar mais importante: o momento presente. Talvez você tenha deixado de ver o Gianechini, que estava sentado no banco de trás do táxi AO LADO do seu carro, olhando pra você, porque você estava totalmente envolvida nas caraminholas da sua mente (espero que esse tenha sido um exemplo estimulante o bastante pra provar a importância de estar atenta ao presente. Os meninos podem substituir o Giane pela Luana Piovani ou algo do tipo)! Por meio da meditação você consegue alcançar estados de consciência mais elevados, onde sua mente se aquieta e sua vida se torna mais equilibrada e completa. Esse equilíbrio vem principalmente do estar presente no aqui e agora.

 Ansiedade, como já está mais que provado, vem principalmente do medo do que pode vir a acontecer (ou não) no futuro. Depressão, muitas vezes, vem de situações do passado que deixaram marcas em nossa mente. Ou seja, viver no presente ou no passado gasta sua energia, não te traz NADA de positivo e ainda pode, em casos mais sérios, levar à desordens mentais como ansiedade e depressão.  É claro que a prática da meditação não é mamão com açúcar (como diria minha mãe), mas vale o esforço. O primeiro tipo de meditação que experimentei se chama Siddha Yoga Meditation e eles tem alguns centros espalhados pelo Brasil. O site deles é o http://www.siddhayoga.org. Nesse tipo de meditação, o máximo que você faz é: sentar-se com a coluna ereta (pode ser em uma cadeira ou até com as pernas esticadas, nada de pernas “pretzel” que os professores de Yoga adoram fazer pra te botar inveja), relaxar o corpo (mantendo a coluna ereta), fechar os olhos e começar a repetir (mentalmente) “Om Namah Shivaya”.

A repetição não segue velocidade específica nem tem de estar “combinandinho” com a respiração. Deixe o mantra tomar a velocidade e tom que quiser. O mais importante é repetir. É claro que, no início, a todo tempo, você vai esquecer do mantra e se envolver com seus outros pensamentos. Algo do tipo “Será que eu estou repetindo direito? Será que está muito devagar? Ihhh, meu calcanhar tá coçando. Será que já se passaram 10 minutos? Tô com fome. Será que o Budha vai me passar alguma lição espiritual durante a repetição?”. Tudo bem! Isso é normal. O mais importarte é: assim que você perceber que perdeu seu mantra, volte para ele… Sempre. Volte para o mantra. É um exercício mental, assim como você se dedica aos seus exerícios físicos. Tão importante quanto uma bunda em pé, minha gente, é uma cabeça alinhada. De nada adianta uma bunda em pé se você não consegue avaliar quem é verdadeiramente merecedor da mesma.

Voltando à meditação… tente. Pode começar com cinco minutos toda manhã, assim que acordar. Antes de tomar café ou banho, mas esteja acordado, nada de cochilar. Sente-se e por cinco minutinhos e repita mentalmente “Om Namah Shivaya”. Depois de três a cinco dias pode começar a aumentar cinco minutos até alcançar 30 minutos. Segundo a maioria dos professores de meditação, gurus e new-gurus, o ideal é meditar duas vezes por dia, 30 minutos cada vez. Mas vamos com calma! Comece com seus cinco minutos e me conte como foi a experiência. Entre os benefícios mais divulgados está a diminuição do stress, doenças e falta de energia além do aumento da concentração, criatividade e felicidade, paz de espírito.  Além de ser de graça né minha gente! Ah! Tente não criar grandes expectativas no início. Os benefícios são sutis e a sutileza é bem mais constante do que os picos emocionais, logo, vamos sempre dar prefêrencia a ela. Boa sorte e Namastê.

Anúncios

15 Respostas to “A resposta que vem de dentro”

  1. Fabiana Marques 29 de junho de 2010 às 2:58 pm #

    Lendo assim dá até vontade de tentar amiga!!!!

    • Livia 29 de junho de 2010 às 3:33 pm #

      Conta um pouco da sua experiência naquele final de semana especial que você teve!! E… tente né!!! beijos

  2. Isabel 29 de junho de 2010 às 4:19 pm #

    Ôbaaa! Vou tentar ainda hoje. Seu texto me animou. Tem algum significado esse mantra “Om Namah Shivaya”? Beijocas.

    • Livia 29 de junho de 2010 às 4:31 pm #

      Oi Bel! O mantra tem um significado sim, mas não é nada de especial e prefiro não contar pra você não conectar o significado a outro pensamento e aí tornar mais difícil a meditação! Se concentre apenas nas três palavras, sem tentar trazer conteúdo pra elas… Porque caso contrário seguiremos fazendo mil conexões entre um pensamento e outro!!! Boa sorte lindona! E me conta depois como foi!! beijos

  3. Silvinha 29 de junho de 2010 às 6:10 pm #

    Amiga, vou tentar, pra ver se melhora a minha ansiedade, mas não sei se tenho disciplina suficiente pra 30 minutos. :S Cinco já vai ser uma luta, hein? Beijo!!

    • Fabiana Marques 29 de junho de 2010 às 7:11 pm #

      Eu acho que só de tentar já está valendo… Né Li?

    • Livia 30 de junho de 2010 às 12:15 am #

      Lindona começa com 5 minutos! PRaticando tudo se torna mais fácil e agradável!!! E não tem remédio melhor pra ansiedade! Beijo grande!

    • Livia 30 de junho de 2010 às 12:17 am #

      Ups! Sua resposta está embaixo da resposta da FAbi Lindona! Good luck!

  4. Helga 29 de junho de 2010 às 9:59 pm #

    Em meio a: “Manhê, xixi!!”, “Manhê, papá!”, etc e tal… Me parece mais que uma boa idéia, já comecei e recomecei diversas vezes, estou partindo para mais uma e definitiva. Obrigada pela motivação e as manterei informadas! beijos

    • Fabiana Marques 30 de junho de 2010 às 12:12 am #

      Estamos aqui torcendo ( e eu tentando tbm!! 🙂

    • Livia 30 de junho de 2010 às 12:18 am #

      Helga aproveite os minutos sem MAnhê!!! BEijo e boa sorte!

  5. anninha cecilia 30 de junho de 2010 às 10:07 pm #

    Nega, que louco ler seu texto! Comecei a meditar diariamente há 10 dias. Foi uma decisão foda, mas necessária. E já estou sentindo a sutileza de entrar em contato comigo. Adorei o texto e o blog!! E adorei ver vcs 3 juntas aqui!!! Adoro todas! Bjuss

    • Livia 30 de junho de 2010 às 10:12 pm #

      Anninha!! EStranhamente, ou não, pensei em você esses dias! Saudade! Que delícia que está meditando! Vai aumentar ainda mais sua intuição! Fico muito feliz! Espero que esteja tudo ótimo com vc! Beijo grande e depois conta dos benefícios da sua meditação!!!

  6. Patricia 2 de julho de 2010 às 6:18 am #

    Lívia
    Vou tentar, dificil é não dormir….mas vou tentar e depois conto!

    • Livia 2 de julho de 2010 às 7:44 pm #

      PAtrícia, acorda, escova os dentes, lava o rosto, bebe um copo de água e senta pra meditar! Se ainda assim estiver com muito sono, recomendo alguns alongamentos leves: pescoço, braço, coluna… Sempre ajuda a despertar! Depois me conta como foi. Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: