La Despedida

16 ago

Não sou boa em decretar o fim de coisas. E também não sou muito chegada em despedidas. Dramática e exagerada como boa sagitariana, sofro, choro, fico triste. Penso que vou sentir falta de tudo, de cada pequeno detalhe.  Tenho fobia da expressão nunca mais.  Prefiro substituí-la sempre que possível pela expressão por enquanto.

A tal arte do desapego,  tão em voga desde que os ensinamentos do Dalai Lama caíram no gosto de Hollywood e do mundo ocidental, me pareceu sempre muito difícil de aplicar. Acho lindo na teoria, mas impraticável em determinados momentos. Pelo menos para mim. E quando falo de apego, é no sentido sentimental mesmo, não no material. Sou  extremamente apegada às coisas que me despertam amor.

Estou de mudança novamente. Dessa vez uma mudança não só geográfica, mas de vida. É um processo muito mais interno do que externo, difícil de explicar. Então peguei emprestado esse espaço “público” para me despedir.  Estou dando adeus a uma versão   “dark and twisty” de mim,  à minha cidade que embora não seja natal, é como se fosse, ao convívio diário com meus pais e minhas amigas de infância, ao sonho de tocar a empresa da família, à nossa linda e espaçosa casa tão pertinho da natureza e à pessoas que foram essenciais nessa jornada espinhosa!

Eu sei que estou fazendo a coisa certa e pensar em  TODAS as coisas que vou ganhar me deixa bem feliz. Mas como cada escolha é sinônimo de uma renúncia, estou triste pelo que terei de renunciar. Eu sinto que as pessoas em geral não nos permitem (nem se permitem) sentir tristeza. Como se fosse alguma doença contagiosa da qual devemos fugir que nem diabo foge da cruz! Será tão errado assim lamentar o fim?

Para mim, viver a tristeza dá sabor especial à felicidade quando ela vem. Como se depois de experimentar o ruim, o bom ficasse ainda melhor.  Faz a gente dar valor, mais valor pelo menos.  Mas quem sou eu para dar conselhos a alguém?

Para acompanhar o clima melodramático, lembrei dessa  canção do músico francês Manu Chao, La Despedida, que tem um título bem apropriado, além disso a letra é linda, umas das mais belas canções de amor! Enjoy! 

Tchau Rio Preto!

Oi Ribeirão!

Anúncios

4 Respostas to “La Despedida”

  1. Helga 16 de agosto de 2010 às 6:06 pm #

    Boa sorte Fabi, em tudo que te propõe fazer! Grande beijo.

  2. Afra 16 de agosto de 2010 às 7:53 pm #

    Muito boa sorte!!!! beijocas

  3. Lívia Stábile 16 de agosto de 2010 às 11:14 pm #

    Amiga linda, boa sorte!!! Te desejo muita proteção e muita luz nessa nova caminhada (pra Jú e GAel tb, claro)! A vida são eternos recomeços e cada vez aprendemos mais!!! TE admiro demais pela sua coragem e força!! Te amo! Muitos beijos

  4. Fabiana Marques 17 de agosto de 2010 às 1:31 am #

    Obrigada meninas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: