Morte – apenas mais uma partida?

30 ago

Ontem assisti um filme incrível! Está entre os mais belos e puros que já vi: chama-se A Partida (Departures), produção japonesa que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro (mais do que merecido) em 2009. O filme (na minha singela opinião) aborda morte, vida e relacionamento. Temas universais e sempre delicados… e é com muita delicadeza que o filme os trata. O personagem principal trabalha como uma espécie de coveiro, realizando a cerimônia que prepara (lavando, vestindo e maquiando) o corpo da pessoa que morreu para ser colocado no caixão. Macabro? Nem um pouco! A sutileza com a qual ele realiza o procedimento, e o roteiro se desenrola (humor e trilha sonora excelentes), torna o lidar com a morte muito mais suave do que imaginamos.

      E como você encara a morte? Para mim, segue sendo um grande desafio… Eu acredito em reencarnação e que a morte é apenas mais um processo da roda da vida, chamada de Samsara (palavra que serve de título para outro maravilhoso filme que recomendo) por budistas. A morte é uma libertação – como muitos orientais acreditam – é o momento em que nossa alma se desprende do corpo que utilizou nessa encarnação para voltar ao absoluto, a pura potencialidade, ao céu, ou algo parecido que eu não tenho como definir (esse é o maior de todos os mistérios)!!

      Acredito, com todas as minhas células, na reencarnação, no entanto, ainda não consigo imaginar minha vida sem a presença da minha família (principalmente) e dos meus amigos. Dói o peito só de pensar! O que prova que eu ainda tenho muito o que trabalhar para aceitar essa passagem ou partida – aceitar a morte! A situação mais triste que já vivi foi a perda de um tio muito querido que nos deixou cedo demais (na nossa opinião), mas já tinha realizado sua obra aqui… Já faz mais de dez anos e, apesar de não viver no passado relembrando, parece que foi ontem… 

      O filme ajuda mostrando as diferentes maneiras como cada família enfrenta a morte do ente querido. Aí no Brasil ou lá do outro lado do mundo, no Japão, a dor é a mesma, as reações são semelhantes e acabam mostrando como somos todos iguais… somos todos um, por mais diferentes que sejam as culturas. O personagem principal trata seus “clientes” com muita ternura, os prepara com carinho e dignidade. Você percebe como ele está totalmente presente, dedicado à função e como isso também traz paz e dignidade para a família que acompanha e participa do procedimento.

      Desta forma, o processo de despedida desencadeado pela morte torna-se também uma cerimônia da jornada da vida, parecida (atenção, parecida… não igual) com batizado, formatura, casamento… Ritual que marca uma etapa da vida. Fica mais fácil aceitar, entender… Fica claro que muito além de uma perda, a morte é realmente uma partida… Talvez a morte nos choque tanto porque é quando percebemos o quanto deixamos de viver ou de falar o que importava para a pessoa que se foi. Eu passei alguns bons anos pensando o quanto deveria ter passado mais tempo com meu tio e lhe dito o quanto ele era especial para mim, o quanto ele me ensinou por apenas ser ele mesmo! Faz algum tempo, em uma noite muito especial, falei com ele usando meu coração e sei que fui ouvida.

      Sugiro então que você, caro leitor, comece a trabalhar seus dotes comunicativos para realmente falar e fazer aquilo que importa para e com as pessoas que você ama! Use o momento presente para se conectar e falar as palavras que vem do coração! Com a alma tranquila, sem arrependimentos, sem expectativas frustradas, sem ressentimentos, fica bem mais fácil encarar a partida… É uma das coisas que tenho sempre tentado fazer! Apesar disso, lidar com a morte da melhor maneira possível ainda é um dos meus grandes desafios. Fica a dica do filme e a pergunta: E você? Conte-me sua opinião sobre a morte! Divida suas dicas… Beijo no coração e Namastê!

Anúncios

5 Respostas to “Morte – apenas mais uma partida?”

  1. Helga 30 de agosto de 2010 às 1:40 pm #

    Oii, acho que a parte desconfortável é a que fica, a saudade. A sensação de que ficou pra trás algo que poderíamos ter feito de diferente. Se você acredita na reencarnação, de certa forma acredita na esperança de um dia poder pedir desculpas, de fazer direito, de enfim ganhar mais uma chance de fazer o certo. Não importa quantas vezes seja preciso até que um dia a gente possa dizer se satisfeito. É muito confortante poder acreditar que a morte não é o fim de tudo! beijo grande.

  2. Fabiana Marques 30 de agosto de 2010 às 8:53 pm #

    Eba, filme pra assistir! Bom, se eu sofro com despedidas curtas ( mudar de cidade por exemplo), imagine com morte. Ainda não lidei com nenhuma grande perda, mas sei que precisarei evoluir muito para encarar de forma tranquila. Confio que na hora que precisar lidar com isso, Deus me ajudará! Beijos!

  3. Julinha 6 de setembro de 2010 às 11:22 am #

    Lindona,

    Já tinha assistido “A Partida” (título no Brasil), é simplesmente genial, vi duas vezes! Um filme profundo, que trata do assunto com a maior das delicadezas. Me fez gostar ainda mais da cultura japonesa…eles são mestres em humildade e respeito pelo próximo, tanto a aprender com eles…linda sugestão, amiga!

    um grande bjo.

    • Lívia Stábile 7 de setembro de 2010 às 12:35 pm #

      Linda os japas são show mesmo! Quando assistir filmes assim me indica tá?! Tenho Samsara entre os meus top 10 até hoje graças a vc!!! (e também tem aquele do professor francÊs que vimos que gostei muito) beijossss

      • Julinha 27 de setembro de 2010 às 2:41 pm #

        O nome daquele documentário é “Être et avoir” em français, “Ser e ter” em portuguais.
        Nenhum filme muito bom nas últimas semanas…
        bisoux.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: