Etiqueta em micareta?

20 set

Um dos 12 Carnariopretos que participei

Eu não sou exatamente fã de axé music. Longe disso. Entretanto, posso dizer que esse tipo de som faz parte de minha vida. Tenho motivos muito especiais para isso. Primeiro: meu marido curte e no início do namoro nos dividíamos entre raves ( por mim) e micaretas ( por ele). Além disso, minha grande amiga Giu é assessora de imprensa de grandes nomes do axé e me proporcionou o melhor carnaval de toda a minha vida, em Salvador, há dois anos. Último e mais nobre dos motivos: meu irmão é um dos sócios da micareta de Rio Preto, o Carnariopreto, portanto há mais de uma década pelo menos uma vez por ano minha presença em um carnaval fora de época é garantida.

Verdade seja dita, com o passar dos anos passei a realmente curtir o evento, numa animação que vai além de minha ligação sentimental com a micareta. Um copo de bebida na mão e um trio elétrio com Chiclete tocando no mais alto volume são capazes de tirar  do chão os pés do mais antifolião dos seres humanos. Se você não suporta axé, te convido a fazer a experiência. Pode continuar odiando ( até porque a maioria das músicas não é de grande qualidade mesmo), mas d-u-v-i-d-o que não vai dar nem um pulinho! Pode estar deprê, com sono, mas ao ouvir o trio elétrico chegando é impossível conter o corpo que começa a se mexer automaticamente.

Este ano fui a 11º edição do Carnariopreto, isso quer dizer que já estive em DOZE micaretas ( isso sem contar o Carnaval de Salvador e os três ou quatro  Carnabeirão ). Isso é muito mais do que eu jamais sonhei, rs.

Com toda essa experiência carnavalesca, me sinto gabaritada a fazer algumas observações a respeito do evento e das pessoas que o frequentam. E faço isso com o olhar de uma mulher de mais de 30, casada, com filho e que continua com a cabeça mais aberta possível.  Dizem que em micareta vale tudo, mas eu discordo. Quase tudo né, gente?

Regra número um: salto alto número 15 e minissaia não combinam com pular, entrar em banheiro químico e afins. Seguindo a mesma lógica, make up de festa também não combina com lugar lotado, calor e suor.

Nos carnavais fora de época, especialmente nos camarotes open bar, as pessoas tendem a beber além da conta e são duas as consequências básicas: litros de bebidas e vômito ( é, vômito) no chão. Daí a importância de um calçado adequado. Tênis velho é a melhor opção ainda, por menos fashion que possa parecer. Eu prefiro estar demodée e com os pés limpos.

Adultos ( isso inclui qualquer pessoa abaixo dos 22): não, não é legal beijar 87  pessoas na mesma noite. Se você ler a observação anterior vai entender pelo menos um dos motivos.

Crianças ( abaixo de 22), se vocês quiserem beijar 87 pessoas, ok. Mas dá para deixar o resto para um lugar mais privado, por favor? Obrigada.

Beijar gente desmaiada não vale né, gente?

A mulher que consegue ser estilosa e original  vestindo um abadá merece meus parabéns! ( a maioria cai pro cafona ou corta tanto o abadá que fica só de top)

Homens: nunca, jamais, em hipótese alguma fiquem seminus para atrair a mulherada. Isso já é feio o suficiente quando feito por mulheres, para homens então é inaceitável. E geralmente tem efeito contrário, a repulsa.

Amigo folião que está beirando os quarenta: Correr atrás do trio é muito legal, até os 22 anos, no máximo. Depois o camarote é mais adequado e se tiver sorte e conseguir acesso ao trio elétrico, uhu, melhor lugar pra ficar.

Se você não consegue mesmo se animar com o axé, aproveite as coisas oferecidas pelo camarote. Comida, massagem e às vezes até cabelereiro.

Cantar “Tutata tututarara” só é permitido para quem já estiver muuuuito bêbado. Aliás Bell, pelamor, esse refrão é uó!

Por fim: A micareta não é o lugar mais adequado para conversas sérias. Na verdade o lugar não foi feito para conversar e ponto. Qualquer coisa além de : Quer mais bebida? Tira o pé do chão! Chicletão tá arrasando hoje! Ops, desculpe, derrubei bebida em você. – não será ouvido na hora ou lembrado depois.

É isso aí. Carnariopreto 2011, a gente se vê por aqui!

Anúncios

2 Respostas to “Etiqueta em micareta?”

  1. Lívia Stábile 20 de setembro de 2010 às 10:37 pm #

    Figura!!! Achei engraçado, mas, pra ser sincera, acho que em micareta vale tudo sabe… É o famoso “ninguém é de ninguém” e “se joga”… Por isso nunca fui, hehehe!!! (meu lado nerd não permite!!) Mas deve ser divertido! Bjos amada e não toma o floral todo não!!! 🙂 (Amo)

  2. Fabio 23 de setembro de 2010 às 10:44 pm #

    excelente o texto!
    adoro o carnaval de SSA…mas só fui em uma micareta em Ribeirão…logo depois do primeiro SSA.
    Vim tao empolgado pós experiencia em SSA que me achei a micareta “uó!”
    Agora ja cheguei nos 30 e encerrei minha carreira em SSA (I HOPE SO)…mas anyway…nao entrei aqui pra contar minha vida…e sim dizer que o texto ficou muito bom!
    E concordo com a restrições…tudo bem que o espirito vai quem/como quer do carnaval é legal…mas BOM SENSO é universal e atemporal!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: