Você é lagarta ou borboleta?

31 jan

Transformações. Elas acontecem todo o tempo. Na chuva que chega e muda o cheiro, a umidade, as cores do dia. Ou no amigo novo que te leva a novos bares, parques, te apresenta novos filmes e grupos musicais. No livro que você está lendo e te oferece uma nova perspectiva de vida. Estamos constantemente nos transformando, por mais que não seja claro. No entanto, estamos preparados para nos transformar??

Você deve estar perguntando-se porque eu falo transformação e não mudança (eu estaria). Bem, mudança é algo que pode-se voltar atrás depois, pode-se regressar ao que era antes. Por exemplo, você muda o sofá de lugar na sala, mas, se quiser, ele volta para onde estava. Ou você corta o cabelo curto, mas, se quiser, espera e ele cresce novamente. Transformação, no entanto, não permite que o que era volte a ser… Por exemplo, se você resolve fazer um bolo: você mistura o leite, manteiga, ovos, açúcar, chocolate em pó e fermento, e bota tudo junto no forno… Bem, os ingredientes se transformaram no bolo e você nunca mais poderá fazer com que o bolo volte a ser o ovo, manteiga, etc! (Hum, bateu uma fominha agora!)

Transformar é se reinventar. É deixar de ser algo para ter um novo lay out (fisicamente ou psicologicamente falando). É muito mais profundo do que mudar. Mudar é fácil! Transformar requer consciência e coragem! Por que coragem? Porque não tem mais volta! Seja a transformação positiva ou negativa, os resultados dela serão profundos e bem mais complicados de serem “revertidos”. Logo, tememos as grandes transformações, como ter um novo emprego, casa, opinião (as vezes é difícil…), relacionamento… O ser humanos gosta de segurança. De saber onde é que isso tudo vai dar. A questão é: na verdade, na verdade, não temos segurança alguma! Não temos como controlar 100% nossas vidas (que o diga a dos outros) e esse descontrole gera ansiedade!

A borboleta é o animal que melhor representa a transformação. Antes ela era uma lagarta não tão bela, no entanto, não teve medo de se deixar transformar, por mais que não sabia o que ia acontecer (eu acho que ela não sabe, mas… sei lá né!). Seu desapego em tornar-se algo novo faz com que ela mude 99% de sua configuração genética minha gente! Não é fascinante! E o melhor é que o resultado final é super positivo! Imagina se ela batesse o pé (ou pés) e se negasse a virar borboleta! E você? Quer ser lagarta ou borboleta??

A transformação acontece mesmo quando decidimos mergulhar de vez na imprevisibilidade da vida e se divertir com ela (como fazem as borboletas)! Claro que temos o livre arbítrio pra decidir o que queremos transformar, mas, os resultados nunca são 100% garantidos! Saber viver na incerteza é uma capacidade maravilhosa! Eu tento desenvolver cada vez mais essa capacidade, pois somos muito condicionados a permanecer em nosso porto seguro. Fazendo nossa parte (no processo “transformativo”) o que nos resta é confiar que os resultados sairão da melhor maneira possível, pois fizemos nosso melhor!

Estar consciente aos resultados das transformações também é muito importante. Elas podem gerar ansiedade, medo, raiva, felicidade, divertimentos… Enfim! É importante estar atento até para entender porque você está agindo de certa forma ou porque as pessoas com que você convive estão reagindo a você de certa forma… Ansiedade e medo são naturais no processo, o importante é o que você está fazendo com eles! No fundo, transformações são sempre positivas! As aparentemente negativas tem sempre um recadinho e um aprendizado para nos oferecer! Então: transforme-se e fique atento! Beijo e Namastê!

Anúncios

12 Respostas to “Você é lagarta ou borboleta?”

  1. msilvinha 31 de janeiro de 2011 às 3:19 pm #

    Amei, Lindona! 🙂 Estou começando a molhar os pés na imprevisibilidade. Vamos ver pra onde vai me levar! Um beijão!

    • Lívia Stábile 31 de janeiro de 2011 às 5:03 pm #

      Silvinha lindona! Você está com a imprevisibilidade mais maravilhosa do mundo acontecendo! Aproveite cada segundo! E saiba que está muito bem protegida durante ela toda!! Beijossss

  2. Barbara 31 de janeiro de 2011 às 4:10 pm #

    Oi Liviassita,
    Quando eu cheguei na Italia, meu pai publicou um texto lindo sobre esse tema no meu blog da época (que não existe mais).
    Fui procurar uma cópia que imprimi e colei na minha agenda de 2005 e gostaria de dividir um trecho com você. Dizia:

    “O bicho-da-seda é uma lagarta, a larva de uma mariposa que come grandes quantidades de folhas de amoreiras, para aumentar mais de vinte vezes o seu tamanho, até chegar a 5 cm de comprimento.
    Aí ela procura um cantinho tranquilo e começa a tecer o seu casulo.
    O casulo branco-amarelo brilhante é feito de um fio com mais de 3.000 metros de comprimento.
    O fio é secretado por uma glândula abaixo da boca.
    Quando o casulo está pronto, começa a luta da lagarta para sair.
    Ela terá que romper o tecido do casulo com arranhões. É um esforço extenuante.
    Que irá transformar a lagarta em uma linda borboleta branca.
    Alguém poderia ficar com pena dela, por tanto esforço, e cortar o casulo com uma tesoura, para libertá-la mais cedo.
    Só que por não ter lutado contra as tramas do tecido, a falta de exercício, faria sair do casulo uma borboleta mais fraca, com o corpo murcho e as asas encolhidas que nunca poderia voar.
    Assim, a lei natural da vida fará com que ela rompa o casulo sozinha e se transforme em uma borboleta branca. Com asas fortes para alçar longos vôos.
    As dificuldades não estão no nosso caminho para nos arrasar. E, sim, para nos fortalecer.”

    Não sei se existe muita escolha entre ser lagarta ou borboleta, acho que estamos sempre em transformação contínua, especialmente em um momento tão inseguro no mundo e onde tudo muda tão rápido.

    Continue com seus otimos artigos, que eu adoro e sigo sempre.

    Um beijo

    Babi

    • Lívia Stábile 31 de janeiro de 2011 às 5:02 pm #

      Babi lindona! Super obrigada pelo texto do seu pai! Amei! Super sincronicidade ein?! E concordo, acho meio difícil não ser borboleta, mas acontece!!! Obrigada por seguir lendo! Saudade grande demais!! beijos

  3. Fabi Marques 31 de janeiro de 2011 às 8:24 pm #

    Amada. Que texto lindo. Adorei. Eu amo ser borboleta, mas às vezes sou uma lagarta teimosa que bate o pé e não quer se deixar transformar. Um dia chego lá! Beijos

    • Lívia Stábile 1 de fevereiro de 2011 às 12:22 pm #

      As vezes todas somos lagartas… FAz parte do process!! bjossss

  4. sueli 31 de janeiro de 2011 às 10:26 pm #

    suas ilustrações sao demais!!!!!o texto muito legal, real e a ideia maravilhosa -de dificil execução mas o impossivel só se mantem impossivel enquanto não o tornamos possivel.bjs!!!!

    • Lívia Stábile 1 de fevereiro de 2011 às 12:25 pm #

      Linda! Beijos mãe

  5. Giu 31 de janeiro de 2011 às 10:36 pm #

    Amei este texto!!! Parabéns

    • Lívia Stábile 1 de fevereiro de 2011 às 12:25 pm #

      Obrigada querida!

  6. Tiago 19 de agosto de 2012 às 7:06 pm #

    Muito bom o texto, eu estava procurando características biológicas da transformação de uma lagarta para uma borboleta para enxertar numa palestra bíblica que vou fazer e achei seu texto, valeu pela ajuda!

  7. Helder 29 de março de 2017 às 12:48 pm #

    Qual o nome dessa especie por que eu estou criando uma crisalida com as mesmas cores e tenho gostaria muito de saber o nome da especie e mais sobre ela, e não consigo encontra mais informação ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: