A carta que eu sempre quis receber

21 mar

Minha querida e amada amiga,
A vida é um paradoxo. Luz e sombra co-existem. Enquanto somos de carne e osso, interagir com a dualidade é o desafio.
Sim, temos dias de luz, de amor incondicional, de compaixão, de singela beleza em cada olhar, de sorriso aberto, de esperança, de criatividade, de pleno e profundo amor.
E, sim, temos dias de profunda escuridão, de rancor, de inveja, de arrependimentos, de rabugice, de falta de crença, de solidão, de lágrimas com coração apertado, de dor, de depressão.
Somos humanos e viver entre esses dois extremos é inerente a nossa existência.
Entretanto, talvez esses dois opostos existam exatamente para nos oferecer nossa lição maior: aprender a viver em paz, independe da glória ou da derrota que acompanha nossa vida diária. Somos seres em evolução. Cada desafio, cada dia de luz ou de escuridão, é perfeito, pois nele está a oportunidade para aprender mais sobre nós, sobre que somos, sobre nossos defeitos e nossas qualidades, sobre como evoluir.
A evolução carece de retrocessos muitas vezes. Como aperfeiçoar algo sem burilá-lo muitas vezes?
Como saber o que é a luz sem nunca ter habitado na escuridão?
Como sentir amor sem nunca ter sentido indiferença, ou dor?
Esses são passos humanos e mágicos minha doce amiga!
Cada etapa dessa (luz ou escuridão) existe para nos trazer mais para perto do nossa auto realização.
Talvez, se sempre estivermos bem, não procuraremos curar feridas internas que parecem já cicatrizadas, mas que profundamente ainda seguem sangrando…
Muitas vezes é preciso abrir a cicatriz pra limpar todo e qualquer resquício de inflamação que ainda esteja camuflada…
O importante é se permitir sentir. Permita-se sentir a dor. Permita-se chorar. Permita-se não ser perfeita. Permita-se retroceder. Permita-se replanejar. Permita-se não ser feliz 100% do seu dia.
PErmita-se.
Deixe os sentimentos e emoções tomarem conta do seu corpo. Observe para que região eles vão.
Coração? Pescoço? Pernas? Ombros?
Fique com eles. Sinta-os profundamente. Mergulhe em cada sensação.
E… depois de algum tempo, deixe eles irem embora.
Respire fundo, muitas vezes.
Perceba que o ar que entra traz luz e energia para seu corpo e sua alma. Permita que ele purifique sua dor, purifique suas células, purifique a região onde sua dor está…
Perceba que o ar que sai leva com ele tudo aquilo que você não precisa mais. Toda a energia bloqueada. Todas as emoções que você já sentiu, mas que não te servem mais.
Faça isso muitas vezes. Muitos dias. Com intenção.
Relembre o aspecto divino dentro de você.
Estamos aqui para recordar que, não só somos filhos de Deus, mas que somos um com Ele.
Pouco a pouco abra seu peito, olhe para o céu. Agradeça mais essa oportunidade de estar viva, aprendendo, brincando de ser gente grande!
Saiba que Deus, e muitos outros seres angelicais, estão sempre ao seu lado. Eles estão apenas esperando que você abra sua mão para que possam colocar a deles sob a sua e te guiar pelo caminho certo.
O caminho seguirá te trazendo desafios, mas dessa vez você estará segura de que eles são o que você precisa para crescer. Você estará segura de que não está sozinha, de que nunca esteve…
Habitar pacificamente na existência da dualidade, do paradoxo – esse é um dos principais propósitos da humanidade minha amiga linda!
Somos todos aprendizes, alunos, discípulos, crianças de bom coração…
Queremos todos a mesma coisa.
Não, não é dinheiro, poder, mulheres/homens, status, roupas, carros, jóias, festas, comida e bebida em excesso…
Não.
Queremos ser amados e amadas. Queremos ser aceitos e aceitas.
E acreditamos que é o dinheiro, poder, festas, etc, que vai nos trazer o amor e aceitação que buscamos.
Não amiga querida.
O que trará mesmo tudo isso é recordar quem somos. É recordar que somos espírito, somos luz, somos mágicos.
Somos o que fazemos de nós a cada dia.
Somos o que fazemos do nosso dia.
Quando encontrarmos, internamente, o auto-amor, a auto-aceitação, a auto-realização, não existirá escuridão capaz de obscurecer nossa própria luz.
Essa é a caminhada espiritual que temos de trilhar.
Nela temos altos e baixos. O importante é seguir em frente. E crer em quem você é.
É crer que você é capaz.
É crer que você é Deus.

É se auto-respeitar e ser delicada com cada fase nova da vida.

É se auto-amar (na luz ou na escuridão), é se auto-aceitar, é se auto-perdoar.
Eu te amo minha amiga.
E eu carrego no meu coração as mesmas aflições que você carrega.
E eu entendo cada lágrima e cada sorriso seu.
E eu sei que você e eu podemos e alcançaremos algo maior.
Eu acredito em você.
E eu te amo profundamente!
Um beijo no seu coração.
Lívia

Anúncios

2 Respostas to “A carta que eu sempre quis receber”

  1. Fabi Marques 21 de março de 2011 às 1:28 pm #

    Obrigada!

    • Lívia Stábile 21 de março de 2011 às 3:34 pm #

      De nada Deusa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: