Relato de uma (ex) viciada

21 jun

– Oi, meu nome é Fabiana e eu estou há 10 dias sem acessar o Facebook e o twitter.

Pois é, os dez dias passaram e vou confessar, foi mais fácil do que eu imaginei.

Os dois primeiros dias foram críticos. Fiquei extremamente mal humorada e cheguei a ter dor de cabeça. Diversas vezes me peguei digitando o endereço dos sites, automaticamente. Como já disse aqui, trabalho em casa, esquema home office, então o primeiro e principal sintoma da abstinência foi o isolamento. Me senti sem voz. E comecei a entender porque escrevo tão compulsivamente o que penso nas redes sociais. É carência, gente. Se eu trabalhasse cercada de pessoas, viraria pro colega do lado, faria a piadinha e continuaria trabalhando. Como não tenho com quem compartilhar, azar de quem me segue no twitter ( que é onde tenho menos freios).

Mas estou divagando, voltemos ao que interessa.

Passados esses dois primeiros dias, ficou realmente mais fácil. No terceiro dia, comprovei minha tese de que o facebook me atrasa a vida profissional e rendi muito mais.  Mas tenho uma confissão horrível a fazer. Eu entrei no Orkut. Depois de quase um ano sem qualquer atualização, apelei a ele para satisfazer meus desejos inexplicáveis pela vida alheia. Mas olha, tinham 598 scraps de propaganda e as duas primeiras atualizações que vi de “ amigos” eram fotos em churrasco e com banda de pagode. Sai da página correndo.

No terceiro dia eu já estava esquecendo o Iphone em casa.  Aliás, meu celular ficou bem largado esses dias. Como ODEIO falar ao telefone ( fui daquelas adolescentes que comiam, bebiam, dormiam e etc ao telefone e acho que esgotei todo meu saco de falar no aparelho), usei muito pouco e quando saía no máximo checava meus emails. Foi ótimo, pois vi  que não é a bateria do celular que dura pouco, sou eu que uso muito a internet nele. Nesse dias o tempo útil da bateria praticamente dobrou.

Outra coisa notável foi a qualidade do tempo que passei com meu filho.  Geralmente, ele chegava em casa da escola e ficávamos juntos na sala, enquanto ele via um desenho eu ficava grudada no celular. Acabei brincando mais com ele e vendo os desenhos também, o que foi uma delícia pois ele contava pra mim tudo que ia acontecer. Como ele está aprendendo a falar, foi bem emocionante.

Lá pelo quinto ou sexto dia fui a trabalho cobrir um evento em Piracicaba. Acho que foi o dia que mais senti falta de tuitar. Em geral, nesse eventos rola um tempo ocioso de espera entre as entrevistas e o twitter me salvava do tédio. Em compensação, tive mais tempo para me preparar e observar o que estava acontecendo.

Um grande ponto negativo é que fiquei mal informada. Não costumo entrar em sites de notícias aleatoriamente, o twitter e até mesmo o FB sempre me serviram como “ porta de entrada” pra esse tipo de site. Clico em uma matéria que um amigo compartilhou, acabo lendo outra e mais outra. Nesses dez dias fiquei totalmente por fora.

Ah, também sobrou mais tempo para o maridão. Conversamos mais durante à noite e assistimos vários filmes juntos. Coisa rara! Até ele deu uma afastada das redes sociais no embalo, sem nem perceber.

Resumindo, a experiência maluca foi muito enriquecedora. Sério. Recomendo a todo mundo o óbvio, que deixemos um pouco de lado o mundo virtual para VIVER.

Anúncios

6 Respostas to “Relato de uma (ex) viciada”

  1. marle-Maria Leonor 21 de junho de 2011 às 2:06 pm #

    vc está coberta de razão
    e que bom ,que descobriu tudo isso sozinha
    eu tb , me viciei na internete num tempo em q não tinha ninguem pra conversar ,os filhos ja adultos tinham lá seus objetivos e eu me sentia só.
    no dia a dia tinha sim amigos e alunos e isso preenchia o meu tempo ;mas a noite e fins de semana , me prendi mesmo na nete ,
    cheguei a escutar que era vicio e era ,
    hoje com mais coisas a fazer , e mais alguém pra me dedicar , tenho ficado pouco por aqui
    cuidar da mamãe e saber dela a todo instante está me cansando muito sim ,mas troquei o comp por isso e vale a pena, ela merece e isso só me traz a sensação de dever cumprido
    sabe.. curta seus momentos livres pra seu filho e maridão como diz vc .
    aproveite vc tem isso e …isso vale muito a pena
    nada é mais importante nesse mundo que a família
    Deus a abençoe
    carinhos
    eu.

  2. Fábio 21 de junho de 2011 às 11:03 pm #

    UFA !!!! Que alívio !!!!! Minha filha é normal !!!!! Inúmeras vezes, enqto vc ” tuiutava “, eu pensava —- qtas coisas ela está perdendo, e nem está percebendo !!!! mas não podia ficar falando—–pois a mãe sempre é antiga , não sabe das coisas e sempre acabA sendo chata, mas como sou uma mãe privilegiada, pelo fato de ser mãe dessa pessoa maravilhosa —- não precisei falar nada —- vc descobriu sozinha—- Amo vc piriquita e tenhomuito orgulho de ser sua mãe —- bjs

  3. Fabi Marques 22 de junho de 2011 às 10:31 pm #

    É gente, me curei!!!!! rs
    ]

  4. patricia amaro 22 de junho de 2011 às 11:49 pm #

    Fabi, adorei que vc voltou e já dei muita risada dos seus tweets!
    Adorei seu relato aqui no blog. Acho que vc tem muita razão neste fato de vc trabalhar em casa. Eu diminui naturalmente meu uso das redes depois que voltei a trabalhar fora de casa!
    E que delicia que marido e filhote foram os mais beneficiados deste sua experiência!
    bjs
    Pati

  5. Lívia Stábile 23 de junho de 2011 às 7:16 pm #

    Fico super feliz amada! You rock!
    beijosss

  6. Roberta Barbosa 27 de junho de 2011 às 7:31 pm #

    Fa, neste feriadao nao vi emails, nem face, nem celular por praticamente 4 dias! Realmente, a gente vive melhor! Um beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: