Scar Tissue

29 dez

A gente sabe que um livro é muito bom, quando ao terminar de lê-lo, os personagens principais ficam na sua cabeça por um tempo e você se pega lembrando das histórias por dias e dias. Estou exatamente assim, só que neste caso os personagens não são fictícios. Estou há duas semanas pensando no Anthony Kiedis, Flea e o restante da gangue do Red Hot Chilli Peppers. Acabei de ler a autobiografia do Anthony, chamada Scar Tissue e estou impactada até agora.

Ando numas de ler biografias, de setembro pra cá já li quatro:  Lobão, Steve Jobs, Shakspeare e agora a do Kiedis. Eu sempre gostei de Red Hot,  Blood Sugar Sex Magik foi um dos primeiros cds que eu comprei e  acompanho a banda desde então. O show deles foi sem sombra de dúvida o que mais curti e pulei em toda minha vida. Entretanto, até o mês passado eu sabia zero da vida pessoal dos caras. Nada além do que  já foi  amplamente divulgado pela mídia, como o fato de Anthony ter sido super drogado e de um dos integrantes da banda ter morrido de overdose nos anos 80.

O livro demora a deslanchar, as primeiras 30 páginas sobre a família dele são chatas de doer e a impressão inicial é de que o cara é um completo idiota, mas aos poucos comecei a simpatizar com sua jornada e ao final a evolução pela qual ele passou é algo realmente admirável.  Anthony Kiedis foi mega ultra master plus junkie, começou a se drogar aos 13, foi criado por um pai malucão que traficava nos anos 70 e só em 2000 é que conseguiu se livrar de fato do vício. História digna de roteiro de filme.

Tudo é muito emocionante e curioso, a narrativa de sua alucinada vida amorosa, os altos e baixos do vício, a chegada do sucesso. Mas o bacana mesmo é ver como a banda surgiu, assim, meio por acaso e sem pretensões.  Como Kiedis foi inseguro quanto ao seu talento como cantor por muitos anos ( como letrista ele sempre soube que mandava bem). Como a  banda se desintegrou e renasceu inúmeras vezes. A luta de todos eles contra as drogas e o processo de criação de cada CD e de algumas músicas. Achei bacana saber também que o Pearl Jam e o Nirvana abriram os show da turnê de Blood Sugar e que a bandas de Seattle estouraram justamente nesta época. Muito legal mesmo.

Leitura obrigatória para os fãs de Red Hot e rock em geral!

Um aperitivo: a música ” I could Have Lied” foi feita por Anthony em homenagem a Sinead O´Connor após o término do namoro dos dois ( eu não tinha a menor ideia de que eles já haviam se relacionado).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: