Um post sobre o nada

12 abr

Sumi, eu sei. Sumi até de mim mesma se vocês querem saber.

Resolvi aceitar um novo desafio profissional no final do ano passado, mas ainda mantive o antigo, e como resultado estou trabalhando dobrado e sem tempo algum para ócio criativo, aliás nem para ócio não-criativo. Não tenho tempo para mais absolutamente nada, além dos trabalhos, filho e marido.

E não estou escrevendo isso porque acho bonito ( Bonito seria dizer que estava viajando pelas ilhas gregas no meu iate) . Aliás, nem eu sei direito porque esse post começou assim. Acho que é para justificar minha ausência. E também porque estou sem assunto. Ando tão cansada de guerra que estou com preguiça de ser profunda, de fazer análises complexas, de consumir cultura útil. Tô rasa, gente.

Estou craque na nova novela das oito, viciei em alguns blogs de humor com posts rápidos, vejo minhas séries; mas malemá tô conseguindo acompanhar o curso de Literatura que faço todas as segundas-feiras. I’ve been better, but I’m good. Esse post está parecendo os post do meu primeiro blog, o Louco Cotidiano. Na época em que ter blog era cool e a gente escrevia qualquer coisa, porque ninguém lia mesmo. Liberdade total. Não que aqui eu tenha um milhão de leitores ( embora já tenhamos atingido a marca de 43 mil visitas nesses quase dois anos), mas rola uma certa obrigação tácita de escrever alguma coisa que preste e que faça sentido. Pois é, acho que falhei dessa vez.

Esse ritmo anestesiante  alucinante de trabalho não será eterno, logo eu ganho na MegaSena, daí vou poder me dedicar aos meus escritos sem precisar me preocupar com ganhar dinheiro. Porque escrever e ganhar dinheiro são verbos que não andam juntos, vocês sabem né?

Falando nisso, estou escrevendo um livo. Bom, isso não é  muito uma novidade porque eu estou escrevendo um livro mais ou menos desde  quando eu tinha uns 12 anos e  nunca consegui acabar livro algum. Mas dessa vez é diferente porque eu sei a história inteira e eu tenho método. M-É-T-O-D-O gente. Então essa também é parte da razão pela qual quase nunca venho aqui, porque quando há espaço para o tal ócio criativo, eu uso ele para o livro. Em breve posto um capítulo aqui para vocês lerem. Mentira, não vou postar. Nem sei se vou terminar esse também, sejamos realistas, mas me faz bem pensar que sim. Acreditar nesse livro é o meu oásis nesse deserto .

Então é isso, venho aqui humildemente pedir-lhes que não desistam desse espaço. Ele anda meio abandonado ( a Lívia mudou de casa e ainda está desprovida de internet), mas é muito importante para nós. Voltem sempre e obrigada pela paciência.

Anúncios

Uma resposta to “Um post sobre o nada”

  1. Michelle Reis 23 de abril de 2012 às 11:23 am #

    Não desistirei, passarei sempre por aqui! rs.. Bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: