Arquivo | Terapia RSS feed for this section

As seis lições da doença e o poder da autocura

26 fev

Image

Somos todos curandeiros (as)! Incluindo você caro leitor (a). A palavra curandeiro, em geral, tem uma conotação negativa do Brasil. Acreditamos que somente alguém com um diploma e muitos anos de estudos tradicionais pode curar alguém (e olha que sou filha de dois médicos e os admiro mais do que tudo nessa vida…). Felizmente, as terapias holísticas e alternativas vem provando, por meio de pesquisas científicas, o poder e a eficácia de modalidades como reiki, florais, passes, yoga, alimentação natural, meditação, oração, etc… Vou além e afirmo que você tem a capacidade de autocura e de ser um veículo de cura para alguém que necessite.

Assisti um vídeo fantástico da China mostrando “médicos médiuns” fazendo um tumor maligno desaparecer em uma senhora somente com o poder da mente deles. Um ultra-som mostrou o tumor diminuindo até desaparecer conforme eles sintonizavam-se com o corpo da paciente e simplesmente enviavam pensamentos e energias de que o corpo dela estava curado, forte, e não continha nenhum tumor. Eu pessoalmente conheço uma pessoa que só curou leucemia após usar alimentação natural (principalmente sucos de espinafre e cenoura), meditação e pranayamas (exercícios respiratórios) que foram passados para ela por meio de um amigo que recebeu as instruções do guru dela (que morreu faz 3 anos) via meditação e sonhos. Hoje ela está curadinha, apesar de os médicos afirmarem que ela só teria mais 6 meses de vida…

A energia, o movimento corporal e a alimentação são fatores primordiais para se manter saudável e para a cura natural. No fim, tudo se resume a energia. O que você “carrega” nos seus pensamentos são energias, porque ativam seu cérebro, seus hormônios e neurotransmissores (afetando seu corpo e estado mental). O que você come é energia (literalmente, a comida vira energia no corpo e te mantém vivo – logo, você é o que come – muito cuidado!!). Mover o corpo é mover a energia dentro de você, que geralmente fica estagnada (gerando doenças) caso não seja ativada por meio de exercícios. Esse é o recado bem simplificado de como manter-se saudável!

A seguir enumero exemplos de aprendizados que pessoas que se curaram (por auto-cura ou até mesmo medicina tradicional) geralmente experienciam:

1)      A Fé na capacidade de cura. Fé inabalável – daquela que mesmo quando a mente começa a temer o futuro, você respira fundo e mantém no seu coração (que sabe bem mais do que a mente) a crença de que está curado e saudável!

2)      A Busca por entender qual é a lição a ser aprendida com a doença. Toda doença física se inicia no campo energético/mental e tem algum recado para nos dar. As lições podem ser variadas, tais como perdoar alguém (ou nós mesmos),  passar a confiar na nossa capacidade e força, servir como exemplo, ajudar pessoas com o mesmo desafio, mudar o rumo de nossas vidas, praticar paciência, entrega, etc…

3)      A Entrega ao Divino. Não importa sua religião ou crença, geralmente as doenças abrem nossos corações para a crença e confiança em algo maior e nos entregamos a essa força divina.

4)      A Mudança na visão do mundo. Quem sofre de alguma condição física geralmente, no decorrer do processo de cura, passa a enxergar a vida de forma diferente, apreciar cada momento, abrir o coração para ser ajudado (a), entender que tudo tem seu tempo…

5)      A Mudança no estilo de vida. Outra característica é a mudança de rotina, carreira, alimentação, cuidado com o corpo, modo de ser relacionar… Não conheço ninguém que se curou e não fez mudanças radicais em algum aspecto de suas vidas…

6)      A Gratidão. Não tem jeito, quando estamos doentes entendemos como somos abençoados por um corpo pefeito que, em geral, é muito saudável. A gratidão em casos de doenças sérias vem em vários aspectos da vida e são um reconhecimento dos pequenos presentes que a vida nos oferece diariamente e que só quando a “realidade” sai dos trilhos conseguimos enxergar… Enxergar o quanto o caminho era florido e passamos a dar valor a cada flor, cada aroma, cada sorriso, cada pessoa em nossas vidas, cada carinho, cada pausa que entra no nosso dia.

Espero que lendo esse texto não esperemos por uma doença para aprender tudo isso. O processo de acordar para nossa essência divina, nosso poder de autocura, nosso verdadeiro eu, acontece de forma muito mais saborosa quando feito sem dor, sem sofrimento. Um terapeuta querido costumava me dizer que podemos aprender pelo amor ou pela dor. Também espero que, assim como eu tenho trabalhado para escolher cada vez mais aprender pelo amor, você faça o mesmo! Beijo no coração e Namastê queridos curandeiros!!

 

Vídeo

Maratona interna e o poder de superar

3 fev

Queridos Leitores, espero que esse vídeo inspire-os a acreditar no seu poder interno e agir em concordância com seus sonhos e metas! Estamos em um momento muito especial nesse planeta, onde as manifestações estão ocorrendo muito rapidamente, logo, cuidado com seus pensamentos e atitudes! Como disse no vídeo anterior, estou finalmente oferecendo meus serviços de terapeuta para brasileiros via Skype. Caso você tenha interesse em receber meu auxílio na sua jornada, por favor me escreva ou entre no site http://www.innerlifetransformations.org para saber um pouco mais sobre o meu trabalho. O site está sendo traduzido para o português… Obrigada pela sua presença no blog e deixe seu comentário ou sugestão para tornar esse post ainda mais especial! Beijo no coração e Namastê!

Link

Conquistar é Viver

26 maio

 

Queridos Leitores,

Estou de volta com um vídeo sobre conquistas, batalhas, gratidão, etc! Peço desculpas pelos erros de português! Faço tanto esforço pra falar dignamente em inglês que tenho relaxado em manter um vocabulário bom na nossa língua maravilhosa! Mas o que vale mesmo é a mensagem, e essa está cheia de coisas boas pra vocês! Façam comentários e contem-me das suas conquistas. Beijo no coração e Namastê!

Crise = perigo+oportunidade

29 nov

Quem nunca passou por uma crise na vida que jogue a primeira pedra! Esse video sobre os momentos de crise e como lidar com eles de forma mais suave e rápida. Fique à vontade para dividir suas crises e ensinamentos nos comentários! Beijo no coração e Namastê!

A coragem de uma dança

23 out

(Esse vídeo é dedicado a Gabrielle Roth) Caro leitor, criei coragem e resolvi mostrar a minha cara! Depois de mais de uma semana avaliando se publicava, ou não, esse vídeo que gravei por impulso, decidi que vale correr o risco, pois além do medo das críticas está o meu compromisso com o meu propósito de vida! A coragem cresceu depois que Gabrielle Roth, a criadora da modalidade 5Rhythms (que eu dancei no dia em que gravei o vídeo), faleceu. Ela é considerada a pessoa mais influente no que chamamos de “dança meditativa” aqui nos EUA, mas eu prefiro definir como “terapia meditativa corporal”. Uma das melhores experiências de auto-conhecimento e meditação que já tive. Então aí vai! Curiosamente, o vídeo fez com que eu me enxergasse de maneira diferente.  Ele acabou sendo um exercício de auto-conhecimento, pois nunca antes vi o que as pessoas viam (ou como me viam) e pude observar meus gestos, minhas caretas, meu tom de voz… Achei super legal e indico a experiência a todos! Fique à vontade para comentar, criticar e rir das minhas loucurinhas. Acima de tudo, fica o meu desejo de criar um espaço livre onde eu possa me expressar melhor e assim proporcionar a você a coragem e liberdade de fazer o mesmo! Beijo no coração e Namastê!

Quem tem medo de 2012?

25 maio

Ninguém sabe o que realmente vai acontecer, mas todo mundo tem uma pulga atrás da orelha quando pensa em 2012. Livros, filmes, palestras, teorias das mais variadas, tudo que se pode imaginar já foi dito, mas no fundo, no fundo, não temos idéia do que vai, ou não, rolar. Eu tenho a minha teoria, claro, que é bem menos catastrófica que a versão hollywoodiana, mas não menos profunda no sentido da espiritualidade. Sinto (literalmente) que estamos chegando em um momento crítico da humanidade onde teremos de reaprender a viver, teremos de reaprender a ser. Parece papo de doido? Então siga lendo!

De acordo com textos Hindus, estamos passando pela Era de Kali (Kali Yuga) o que, sendo bem superficial, significa que estamos passando por um era de desonestidade, desrespeito em relação ao outro e à natureza, crimes, violência, sexualidade exacerbada (tudo a ver com nossa realidade), etc. De acordo com as escrituras, essa era tem 432 mil anos, dos quais já vivemos 5 mil. Mas, muita calma nessa hora! Não se desespere ainda. Os textos Hindus também falam que após Kali Yuga viveremos Satya Yuga (Satya em Sânscrito significa verdade absoluta), quando nos reconectaremos como nosso verdadeiro eu e com toda a nossa potencialidade e atributos positivos e divinos.

O bom dessa história toda é que, ainda segundo os textos, uma Yuga (era ou tempo) pode começar dentro de outra e, se alinharmos os dizeres Hindus com o que dizem os textos Maias, Satya Yuga está se aproximando da nossa existência de maneira muuuuito mais rápida do que os 432 mil anos (até porque vamos combinar que tudo hoje em dia está acontecendo em alta velocidade). Isso significa que estamos tendo a oportunidade de nos desenvolver e alcançar um nível existencial e espiritual nunca alcançado antes.

Se você, de repente, decidiu começar a frequentar uma religião, ou fazer terapia, ou se matriculou na yoga, ou quer ir em um retiro espiritual: parabéns!! Você está escutando a vontade do seu eu superior de estar preparado para a Satya Yuga. O planeta está em um momento de intensa transformação. A natureza e seus desastres são a mensagem mais clara disso. Eu não acredito no fim do mundo, não acredito em Apocalipse, mas acredito que chegaremos em um momento de separação mais clara da humanidade. De um lado estarão aqueles que querem evoluir espiritualmente, fazer o bem para toda a sua comunidade, abrir mão da competição e do poder cego, tratar o planeta como uma parte de si, buscar o contentamento desapegado de bens ou títulos.

Do outro lado estarão aqueles que querem seguir suas vidas material confortavelmente, tentando sempre tirar vantagem dos outros, buscando sempre mostrar que são melhores que os outros, não respeitando a natureza (Hello pra você que não recicla – estamos no século XXI e não mata ninguém usar 5 minutos por dia pra reciclar seu lixo. Quando estivermos todos morando em um lixão a céu aberto vou te ligar pra agradecer sua contribuição), tendo medo de perder a ilusória segurança (e bens) que tem. Os do grupo do parágrafo de cima vão trabalhar em prol dessa nova era (e já estão trabalhando) e conseguirão ter e manter uma paz interna real e reconfortante. Os desse parágrafo seguirão ansiosos, cardíacos, depressivos, rancorosos…

Trágico demais? Pode ser. Mas é nisso que acredito. Acredito que o planeta está se polarizando, está se tornando ainda mais dicotômico. Também acredito que chegará o  momento (pode levar centenas de anos, ou não) em que essa realidade não mais aguentará ser dual e, de alguma forma (que não tenho idéia de qual será), ela se tornará única… Será o momento em que saberemos que somos todos um. O momento em que viveremos a famosa unidade com Deus, com o cosmos, com o Universo, ou o que quer que seja que você quer chamar!

Tudo isso pode parecer papo de maluco e se você acha que eu sou maluca: ótimo! A vida já está lotada de gente normal!!! Mas fica aqui o recado: observe sua vida, veja o que você pode melhorar para o bem de todos (não só o seu), siga sua intuição (mesmo que ela te diga algo que parece brega, estranho ou ridículo), siga os recados das “coincidências” que a vida te dá. Acima de tudo, siga seu coração e faça o seu melhor! Fazendo o seu melhor, pode chegar 2012, pode chegar o dia do juízo final ou o que quer que seja: quem faz o bem recebe o bem! E essa é a lei Universal inabalável!! Beijo no seu coração e Namastê!

A carta que eu sempre quis receber

21 mar

Minha querida e amada amiga,
A vida é um paradoxo. Luz e sombra co-existem. Enquanto somos de carne e osso, interagir com a dualidade é o desafio.
Sim, temos dias de luz, de amor incondicional, de compaixão, de singela beleza em cada olhar, de sorriso aberto, de esperança, de criatividade, de pleno e profundo amor.
E, sim, temos dias de profunda escuridão, de rancor, de inveja, de arrependimentos, de rabugice, de falta de crença, de solidão, de lágrimas com coração apertado, de dor, de depressão.
Somos humanos e viver entre esses dois extremos é inerente a nossa existência.
Entretanto, talvez esses dois opostos existam exatamente para nos oferecer nossa lição maior: aprender a viver em paz, independe da glória ou da derrota que acompanha nossa vida diária. Somos seres em evolução. Cada desafio, cada dia de luz ou de escuridão, é perfeito, pois nele está a oportunidade para aprender mais sobre nós, sobre que somos, sobre nossos defeitos e nossas qualidades, sobre como evoluir.
A evolução carece de retrocessos muitas vezes. Como aperfeiçoar algo sem burilá-lo muitas vezes?
Como saber o que é a luz sem nunca ter habitado na escuridão?
Como sentir amor sem nunca ter sentido indiferença, ou dor?
Esses são passos humanos e mágicos minha doce amiga!
Cada etapa dessa (luz ou escuridão) existe para nos trazer mais para perto do nossa auto realização.
Talvez, se sempre estivermos bem, não procuraremos curar feridas internas que parecem já cicatrizadas, mas que profundamente ainda seguem sangrando…
Muitas vezes é preciso abrir a cicatriz pra limpar todo e qualquer resquício de inflamação que ainda esteja camuflada…
O importante é se permitir sentir. Permita-se sentir a dor. Permita-se chorar. Permita-se não ser perfeita. Permita-se retroceder. Permita-se replanejar. Permita-se não ser feliz 100% do seu dia.
PErmita-se.
Deixe os sentimentos e emoções tomarem conta do seu corpo. Observe para que região eles vão.
Coração? Pescoço? Pernas? Ombros?
Fique com eles. Sinta-os profundamente. Mergulhe em cada sensação.
E… depois de algum tempo, deixe eles irem embora.
Respire fundo, muitas vezes.
Perceba que o ar que entra traz luz e energia para seu corpo e sua alma. Permita que ele purifique sua dor, purifique suas células, purifique a região onde sua dor está…
Perceba que o ar que sai leva com ele tudo aquilo que você não precisa mais. Toda a energia bloqueada. Todas as emoções que você já sentiu, mas que não te servem mais.
Faça isso muitas vezes. Muitos dias. Com intenção.
Relembre o aspecto divino dentro de você.
Estamos aqui para recordar que, não só somos filhos de Deus, mas que somos um com Ele.
Pouco a pouco abra seu peito, olhe para o céu. Agradeça mais essa oportunidade de estar viva, aprendendo, brincando de ser gente grande!
Saiba que Deus, e muitos outros seres angelicais, estão sempre ao seu lado. Eles estão apenas esperando que você abra sua mão para que possam colocar a deles sob a sua e te guiar pelo caminho certo.
O caminho seguirá te trazendo desafios, mas dessa vez você estará segura de que eles são o que você precisa para crescer. Você estará segura de que não está sozinha, de que nunca esteve…
Habitar pacificamente na existência da dualidade, do paradoxo – esse é um dos principais propósitos da humanidade minha amiga linda!
Somos todos aprendizes, alunos, discípulos, crianças de bom coração…
Queremos todos a mesma coisa.
Não, não é dinheiro, poder, mulheres/homens, status, roupas, carros, jóias, festas, comida e bebida em excesso…
Não.
Queremos ser amados e amadas. Queremos ser aceitos e aceitas.
E acreditamos que é o dinheiro, poder, festas, etc, que vai nos trazer o amor e aceitação que buscamos.
Não amiga querida.
O que trará mesmo tudo isso é recordar quem somos. É recordar que somos espírito, somos luz, somos mágicos.
Somos o que fazemos de nós a cada dia.
Somos o que fazemos do nosso dia.
Quando encontrarmos, internamente, o auto-amor, a auto-aceitação, a auto-realização, não existirá escuridão capaz de obscurecer nossa própria luz.
Essa é a caminhada espiritual que temos de trilhar.
Nela temos altos e baixos. O importante é seguir em frente. E crer em quem você é.
É crer que você é capaz.
É crer que você é Deus.

É se auto-respeitar e ser delicada com cada fase nova da vida.

É se auto-amar (na luz ou na escuridão), é se auto-aceitar, é se auto-perdoar.
Eu te amo minha amiga.
E eu carrego no meu coração as mesmas aflições que você carrega.
E eu entendo cada lágrima e cada sorriso seu.
E eu sei que você e eu podemos e alcançaremos algo maior.
Eu acredito em você.
E eu te amo profundamente!
Um beijo no seu coração.
Lívia

De malas e coração prontos

7 mar

Estou de mudança. Literalmente. Logo, darei uma sumidinha básica por alguns dias (ou não, vai saber!!).

Quero apenas deixar registrado a maravilhosa transformação que acontece quando mudamos de casa, de trabalho, de cidade, de namorado, de hábitos alimentares, de hábitos mentais… !

Tudo começa no campo da sabedoria profunda da nossa alma. Ela sabe muito mais que nossa mente e começa a influenciar nosso campo das idéias, entre nossos pensamentos e emoções, para o que está por vir. Processos duradouros e positivos desabrocham vagarosamente. Assim como a orquídea daqui de casa: faz mais de um mês que, diariamente, festejo os brotinhos de flores dela nascendo! Ontem duas flores começaram a se abrir, lentamente, revelando todo o seu mistério, sua força e beleza.

É assim na vida também. Também germinamos. Precisamos de um tempo, um momento de pré-transformação, um espaço vazio entre o velho e o novo, para nos refazer e começar de novo de forma sólida, confiante, equilibrada. Toda transformação súbita é superficial, já dizia a psicologia tradicional e a cultura oriental (por isso praticamos infinitamente). Minha mudança começou há exato um ano, quando passando por uma experiência forte, escrevi em um papel que estaria me mudando de casa em exatamente um ano. Bem, intenção é poder e aqui vou eu!  

Durante esse tempo de espera me preparei para deixar muito espaço vazio na minha vida para o que essa etapa nova trará. Também finalizei muitas situações (familiares e internas) que precisavam ser finalizadas. Deixo o lar onde estou com muita gratidão, muitas boas lembranças e muito amor pelos que aqui ficarão. Entrarei no meu novo lar também cheia de amor, gratidão pelo novo e espaço de sobra para as novas lembranças que criarei!

Espero que as mudanças na sua vida também tenham hora certa pra acontecer! E que sejam leves, divertidas, duradouras e cobertas de amor e luz. Beijo no coração e Namastê.

Do divã para a academia (ou o colchonete): a terapia da atividade física

21 fev

Encaramos toda e qualquer atividade que fazemos  da mesma forma que encaramos nossa vida. Se você acha seu trabalho penoso é porque provavelmente também encara a vida como difícil e repleta de problemas. Se você acha estudar um pé no saco, provavelmente você vê o aprender como algo não importante na sua vida… Não seria diferente com as atividades físicas que você escolhe fazer: elas dizem muito de você e de como você encara sua realidade. Se você é criativo, provavelmente vai adorar dançar. Se gosta de aventura, escalar, rapel, arvorísmo são seus preferidos… Se tem muita energia para por pra fora, correr ou artes marciais são uma maravilha! Focando na atividade física, o importante é passar a ter consciência dessa ligação e usar ela a seu favor… Como? Senta que lá vem história!!

Tenho mais facilidade em explicar minhas teorias usando minha experiência, então lá vou eu falar de yoga novamente! Yoga significa união, ou melhor, unir seu corpo, sua mente e seu espírito e alcançar a auto-realização por meio dessa união. Muitos não sabem, mas a prática física da yoga, as posições (ou Asanas em Sânscrito), são apenas um dos braços dessa filosofia de vida. Os asanas existem principalmente para preparar o seu corpo para meditar, removendo energias bloqueadas e permitindo que você possa ficar confortavelmente sentado por horas!! Infelizmente, a parte física da Yoga ficou mais famosa que os outros 7 braços dela, no entanto, mesmo focando apenas nesse aspecto é possível aprender e desenvolver sua consciência!

Como? Bem, durante uma aula de yoga você vai encarar a prática exatamente como encara sua vida: se você tende a ser preguiçoso (a), provavelmente fará o mínimo esforço possível durante os exercícios, esperando ansiosamente pelo relaxamento final. Se você é distraído (a), vai passar a aula toda no seu mundo da fantasia e não vai nem lembrar quais foram os exercícios que você fez durante a aula. Se você é mega disciplinado (a), vai se dedicar totalmente, contraindo mais músculos do que precisa, tendo o rosto tenso, fazendo mais esforço do que o necessário… E por aí vai.

O lado bom dessa história toda surge quando você toma consciência do que precisa mudar na sua vida (para ser mais feliz) e começa a aplica essa mudança nos pequenos detalhes, como na sua atividade física! Logo, se você não quer mais ser preguiçoso, você passará a realmente fazer o esforço físico e trabalhar seu corpo durante a aula. Se você é distraído, vai se dedicar a ficar concentrado na aula e não deixar-se levar pelos devaneios mentais. Já o disciplinado vai permitir-se relaxar e não levar tão a sério sua prática, abrindo espaço para a flexibilidade.

Para mim, a prática hoje tem um sentido bem diferente do que tinha. Eu pratico os exercícios físicos muito menos pelo aspecto físico (que são lindos de ver, mas não garantem que ninguém será mais feliz fazendo-os) e muito mais para o meu auto-conhecimento. Sinto meu corpo, observo meus pensamentos, me entrego à respiração e vou descobrindo mais e mais quem sou… Eu trago para minha prática aquilo que preciso e quero fomentar na minha vida. Também passei a ofertar minha prática a Deus. Sim, meus caro, eu ofereço minha prática a ele (ou ela, ou o que quer que você acredite), praticando a entrega… Pois, quando entregramos, eliminamos o ego, expectativas e julgamentos. Tudo flui melhor e nos aceitamos muito mais… Claro que não é sempre que consigo, mas sigo praticando. Para mim, os asanas são uma forma de busca do meu eu mais profundo e divino.

Faço o convite para você fazer o mesmo com sua atividade física preferida, seja ela qual for! Tente sair do convencional e aplicar nela aquilo que você quer trazer para os outros aspectos da sua vida!! Além de ser divertido, irá te dar uma nova percepção de quem você é e de como você encarar a vida! Depois me conta como foi! Beijo e Namastê.

Adeus ano velho

29 dez

Posso dizer que 201o foi um ano pesado para mim. Nem bom, nem ruim. E sim cansativo, arrastado, confuso, inquietante, revolucionário.  Tanta coisa aconteceu nesse espaço de tempo que é incrível constatar que foi tudo em 365 dias. Meus planos, meus sonhos, minhas metas profissionais, meu endereço e minha profissão mudaram radicalmente duas vezes.

Ao longo de 2010 iniciei uma jornada de autoconhecimento linda e espinhosa. Saber exatamente quem sou exigiu doses altas de disciplina, entrega, ausência de julgamento e coração aberto.  Confesso que tirar o véu que cobria minha visão sobre mim mesma e ver meus defeitos tão de perto doeu. Entretanto, conhecer a razão ( ou a falta dela) para estes, certamente me faz evoluir diariamente.  Vale cada centavo gasto com a terapia .  

2010 foi o ano em que eu quis voltar a ser adolescente ( só faltou eu fazer uma tatuagem gigante e pintar o cabelo de verde), o ano em que  me entreguei de corpo e alma à prática da yoga, o ano em que voltei a escrever, me assumi como jornalista, voltei a gostar de música, disse adeus definitivo à minha cidade do coração, descobri quem são meus verdadeiros amigos, redescobri um mundo virtual cheio de possibilidades interessantes e aprendi na marra que o amor precisa mesmo ser regado como uma planta, senão murcha e pode até morrer.

Tive momento difíceis, muitos, mas o saldo acabou sendo positivo. Ao final tenho mais a agradecer do que a pedir. Então, obrigada. E hoje agradeço também por essa convenção que criou o que chamamos de ano. E a possibilidade que isso nos dá de recomeçar do zero, como se realmente fizesse diferença fazer isso hoje, dia 29 de dezembro de 2010 ou sábado, dia 1 de janeiro de 2011. Não faz sentido algum, eu sei,  mas é um alento poder dizer adeus a esse ano velho, que já vai tarde. Porque como já disse Drummond: ” Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos”.

Feliz Ano Novo!

%d blogueiros gostam disto: