As seis lições da doença e o poder da autocura

26 fev

Image

Somos todos curandeiros (as)! Incluindo você caro leitor (a). A palavra curandeiro, em geral, tem uma conotação negativa do Brasil. Acreditamos que somente alguém com um diploma e muitos anos de estudos tradicionais pode curar alguém (e olha que sou filha de dois médicos e os admiro mais do que tudo nessa vida…). Felizmente, as terapias holísticas e alternativas vem provando, por meio de pesquisas científicas, o poder e a eficácia de modalidades como reiki, florais, passes, yoga, alimentação natural, meditação, oração, etc… Vou além e afirmo que você tem a capacidade de autocura e de ser um veículo de cura para alguém que necessite.

Assisti um vídeo fantástico da China mostrando “médicos médiuns” fazendo um tumor maligno desaparecer em uma senhora somente com o poder da mente deles. Um ultra-som mostrou o tumor diminuindo até desaparecer conforme eles sintonizavam-se com o corpo da paciente e simplesmente enviavam pensamentos e energias de que o corpo dela estava curado, forte, e não continha nenhum tumor. Eu pessoalmente conheço uma pessoa que só curou leucemia após usar alimentação natural (principalmente sucos de espinafre e cenoura), meditação e pranayamas (exercícios respiratórios) que foram passados para ela por meio de um amigo que recebeu as instruções do guru dela (que morreu faz 3 anos) via meditação e sonhos. Hoje ela está curadinha, apesar de os médicos afirmarem que ela só teria mais 6 meses de vida…

A energia, o movimento corporal e a alimentação são fatores primordiais para se manter saudável e para a cura natural. No fim, tudo se resume a energia. O que você “carrega” nos seus pensamentos são energias, porque ativam seu cérebro, seus hormônios e neurotransmissores (afetando seu corpo e estado mental). O que você come é energia (literalmente, a comida vira energia no corpo e te mantém vivo – logo, você é o que come – muito cuidado!!). Mover o corpo é mover a energia dentro de você, que geralmente fica estagnada (gerando doenças) caso não seja ativada por meio de exercícios. Esse é o recado bem simplificado de como manter-se saudável!

A seguir enumero exemplos de aprendizados que pessoas que se curaram (por auto-cura ou até mesmo medicina tradicional) geralmente experienciam:

1)      A Fé na capacidade de cura. Fé inabalável – daquela que mesmo quando a mente começa a temer o futuro, você respira fundo e mantém no seu coração (que sabe bem mais do que a mente) a crença de que está curado e saudável!

2)      A Busca por entender qual é a lição a ser aprendida com a doença. Toda doença física se inicia no campo energético/mental e tem algum recado para nos dar. As lições podem ser variadas, tais como perdoar alguém (ou nós mesmos),  passar a confiar na nossa capacidade e força, servir como exemplo, ajudar pessoas com o mesmo desafio, mudar o rumo de nossas vidas, praticar paciência, entrega, etc…

3)      A Entrega ao Divino. Não importa sua religião ou crença, geralmente as doenças abrem nossos corações para a crença e confiança em algo maior e nos entregamos a essa força divina.

4)      A Mudança na visão do mundo. Quem sofre de alguma condição física geralmente, no decorrer do processo de cura, passa a enxergar a vida de forma diferente, apreciar cada momento, abrir o coração para ser ajudado (a), entender que tudo tem seu tempo…

5)      A Mudança no estilo de vida. Outra característica é a mudança de rotina, carreira, alimentação, cuidado com o corpo, modo de ser relacionar… Não conheço ninguém que se curou e não fez mudanças radicais em algum aspecto de suas vidas…

6)      A Gratidão. Não tem jeito, quando estamos doentes entendemos como somos abençoados por um corpo pefeito que, em geral, é muito saudável. A gratidão em casos de doenças sérias vem em vários aspectos da vida e são um reconhecimento dos pequenos presentes que a vida nos oferece diariamente e que só quando a “realidade” sai dos trilhos conseguimos enxergar… Enxergar o quanto o caminho era florido e passamos a dar valor a cada flor, cada aroma, cada sorriso, cada pessoa em nossas vidas, cada carinho, cada pausa que entra no nosso dia.

Espero que lendo esse texto não esperemos por uma doença para aprender tudo isso. O processo de acordar para nossa essência divina, nosso poder de autocura, nosso verdadeiro eu, acontece de forma muito mais saborosa quando feito sem dor, sem sofrimento. Um terapeuta querido costumava me dizer que podemos aprender pelo amor ou pela dor. Também espero que, assim como eu tenho trabalhado para escolher cada vez mais aprender pelo amor, você faça o mesmo! Beijo no coração e Namastê queridos curandeiros!!

 

Anúncios
Vídeo

Maratona interna e o poder de superar

3 fev

Queridos Leitores, espero que esse vídeo inspire-os a acreditar no seu poder interno e agir em concordância com seus sonhos e metas! Estamos em um momento muito especial nesse planeta, onde as manifestações estão ocorrendo muito rapidamente, logo, cuidado com seus pensamentos e atitudes! Como disse no vídeo anterior, estou finalmente oferecendo meus serviços de terapeuta para brasileiros via Skype. Caso você tenha interesse em receber meu auxílio na sua jornada, por favor me escreva ou entre no site http://www.innerlifetransformations.org para saber um pouco mais sobre o meu trabalho. O site está sendo traduzido para o português… Obrigada pela sua presença no blog e deixe seu comentário ou sugestão para tornar esse post ainda mais especial! Beijo no coração e Namastê!

Encontro em um dia frio

16 jan

Imagem

O frio inesperado gelava seus ossos enquanto  desviava dos carros no trajeto. Os dentes começaram a bater e ela desejou um cachecol como nunca. Considerou a hipótese de desviar do caminho e  ir atrás de uma loja comprar um casaco, mas antes que terminasse seu raciocínio, já estava dentro do pub.

Com sempre, sentou-se sozinha numa mesa alta, no canto do bar e  pediu uma pint de Guiness. Pode sentir seu corpo recuperando a temperatura normal enquanto tentava decifrar qual música a banda tocava. Fechou os olhos para se concentrar melhor na melodia da canção e ao abri-los enxergou uma garrafa de Stella colocada à sua frente, já ia reclamar quando notou que não era a garçonete que estava em sua frente. Não conseguiu dizer nada,  apenas fez um esforço sobrenatural para não desabar ali mesmo.

–  Você ainda toma Stella?- ele perguntou

Pensou em levantar e lhe dar um abraço, mas não conseguiu.  Apenas sorriu com metade da boca.  Eram tantas as coisas não ditas e guardadas durante esses anos, que as palavras se embolaram todas, uma disputando importância com a outra, e resultaram presas na garganta,  sufocadas.  Foi salva pela garçonete que chegou  trazendo a cerveja. Finalmente as palavras se acertaram e ela conseguiu formular uma frase, com o fiapo de voz que lhe restava.

– Agora eu tomo Guiness.

Respondeu, para em seguida beber meia pint em um gole só, arrancando dele um suspiro e um sorriso.

– Eu não imaginei que fosse me sentir assim ao te reencontrar.

– Já eu, tinha certeza. Por isso sempre evitei, mas hoje o universo conspirou a favor…

Ela virou o restante do copo e imediatamente pediu mais uma cerveja:

-Vou te acompanhar na Stella em homenagem aos velhos tempos.

Ele abriu um sorriso largo, meio aliviado, como se soubesse que ela finalmente estava voltando a si. Mais solta, ela emendou um assunto no outro, sem pausa, temendo que o silêncio os fizesse lembrar  daquilo que realmente queriam dizer. Assim, passaram  os primeiros 30 minutos  conversando sobre amenidades, resumindo o que lhes havia acontecido nos últimos anos em que ficaram sem se falar. Deram algumas risadas, sentiram-se tão à vontade que quase acreditaram  ser bons amigos.

Em um momento de descuido, o silêncio os tomou de assalto e, sem alternativa, renderam-se.  Seus olhares preencheram o vazio deixado pela falta das palavras. Ela tentou se distrair, olhando para a coleção de bebidas por trás do balcão, mas podia sentir os olhos dele, fulminantes, enxergando sua alma.  Alguém abriu uma janela e uma golfada de ar frio lhe gelou a espinha. Em uma fração de segundos começou a tremer, sentia tanto frio que mal conseguia raciocinar.  Seu corpo todo chacoalhava e ela já não sabia se aquilo era apenas frio ou resultado daquele encontro. Ele se aproximou e cobriu-a com o seu casaco. Durante o movimento, seus joelhos se tocaram , lembrando-a de tudo que ela se esforçava tanto para esquecer.  Pediu mais uma cerveja, a saideira.

– Preciso ir embora.

Ele consentiu com a cabeça. Pede para eu ficar vai. Silêncio. Ela novamente tentou desviar a atenção,  lendo  os rótulos das garrafas detrás do balcão. Ainda podia sentir os olhos dele acompanhando cada movimento seu. Olhou para o teto, mas não havia nada que pudesse distraí-la ali.

– Por que fica olhando para essas garrafas toda hora?

– É uma tática.

– Tática?

– Pra não manter contato visual.

– E funciona?

– Não… Para de me olhar desse jeito vai.

–  Por quê?

– Porque parece que você está lendo meus pensamentos.

– É que eu estou pensando a mesma coisa que você.

Como me esconder desse homem que me conhece do avesso? O que eu posso dizer que ele já não saiba?

Sorrateiramente  seus corpos  escorregaram  de seus bancos e se aproximaram, atraídos como ímãs. Se respirassem  um pouco mais profundamente, suas pernas se tocariam de novo. Ela sorriu com o pensamento, mas suas palavras não concordaram com suas ideias:

– Eu não acho que isso aqui seja uma boa.

–  E não é. Mas desde quando  a gente se importa com isso?

Desde quando? Não saberia responder. O fato é que agora ela se importava com isso. E precisava partir, ou perderia o ônibus e a razão. Levantou-se na direção dele e perguntou se podiam dar um abraço.

– Devemos.

Sentiu  a força dos seus braços em sua  cintura e decidiu prolongar o momento. Aproveitou o calor e o cheiro daquele corpo tão familiar. Recebeu um beijo demorado, no canto da boca, e saiu. Sentiu uma bola de espinhos se formando em seu peito, subindo até a garganta e enchendo seus olhos d’água. Com a visão meio embaçada, saiu  para a rua. O vento não parecia mais tão gelado. Percebeu que estava de casaco e sorriu.

 

Vídeo

Como manifestar suas intenções em 2014!

1 jan

Feliz Ano Novo queridos leitores! Começamos 2014 com uma Lua Nova super especial que vai te apoiar na realização dos seus sonhos e desejos! Siga as dicas desse vídeo nos 3 próximos dias, que serão os dias mais poderosos dessa lua! Que nesse ano possamos elevar nossas consciências de forma coletiva para criar uma realidade mais amorosa, compassiva e feliz para todos nós! Beijo no coração, Namastê e força na lista de intenções!

As melhores séries do momento

5 nov

Não escrevo há séculos, eu sei… Não tenho tido muito tempo ocioso e quando tenho, acabo assistindo séries. Nesse ano acompanhei 20 delas, isso mesmo, 20. Resolvi então  listar aqui as que mais valem a pena! Quem sabe assim vocês me perdoam pelo sumiço?

GREY´S ANATOMY

Imagem

É a série que vejo há mais tempo, estou tão envolvida que não tenho mais condições de julgar se ainda é boa mesmo ou se já deveria ter terminado. Sei que choro quase todo episódio e a trilha musical me faz descobrir bandas e músicas  muito bacanas.

BREAKING BAD

Imagem

Se você ainda não assistiu, corra! A quinta e última temporada terminou há algumas semanas e posso dizer sem medo de errar que ficará na história das melhores séries ever.  Quando o letreiro começou a subir, lagriminhas nos olhos e coração apertado e feliz. Aquela sensação única ( e rara) de quando você tem certeza que viu algo histórico e se sente orgulhoso de ter acompanhado tudo. Televisão também pode ser arte, espero que vocês saibam disso! A história do professor de química loser que ao descobrir que tem câncer resolve mudar de vida e se envolve com produção e tráfico de meth acabou de ganhar o Emmy , só pra mostrar que não estou errada. E os protagonistas, Walter White (Bryan Cranston) e Jesse Pinkman (Aaron Paul) também já foram premiados. As temporadas são curtas e garanto que você não vai perceber o tempo passar!  Vai lá agora. Corra. Por favor!

 

THE KILLING

Imagem

A terceira temporada da série policial baseada em um seriado dinamarquês mostra a dupla de investigadores Sarah Linden  e Stephen Holder tentando solucionar mais um crime.  A terceira temporada foi  uma grata surpresa. Se você não tiver paciência para assistir as temporadas anteriores,  foque na terceira e te garanto que será feliz. São apenas 12 episódios nessa última e te garanto que você vai me agradecer ao final de cada um deles! Infelizmente a série só teve três temporadas, mas vale muito!

SCANDAL

Imagem

Preciso confessar  que ao ver os primeiros teasers da série eu disse a mim mesma: não verei nunca.  E só comecei a ver por motivos de: absoluta falta de outra opção ( durante o break) e por ser produção de Shonda Rhimes, a mesma de Grey´s Anatomy.  Mas a real é que  viciei master plus.  A história gira em torno de Olivia Pope  a “ consertadora de conflitos “ ( em português fica meio nada a ver esse título, mas enfim) que tem um affair mal resolvido  com o presidente dos Estados Unidos.  O romance  é o pano de fundo para a resolução dos casos que chegam até Pope. Ela e sua equipe solucionam desde acusações de estupro a sequestro de ditador. Muitas emoções! Adoro!

ORANGE IS THE NEW BLACK

Imagem

Baseada no livro homônimo de Piper Kerman e adaptada por Jenji Kohan (de Weeds), a série acompanha Piper (Taylor Schilling), uma “patricinha”  de NY que acaba presa em uma penitenciária federal  por um crime que cometeu 10 anos antes ( carregar drogas para sua então namorada, a traficante Alex, Laura Prepon de The 70’s show).  Sem qualquer experiência para lidar com o novo ambiente, Piper enfrenta uma série de dilemas e conflitos em seu novo mundo. Jason Biggs ( de American Pie) é o noivo de Piper. Série produzida pelo Netflix, altamente viciante.

REVENGE

ImagemSim, eu vejo Revenge. E muito antes de passar na Globo, tá? O drama inverossímil estrelado por Madeleine Stowe e Emily VanCamp já está na quarta temporada e continuo acompanhando sem saber direito o porquê. Acho que de tão surreal, é bom. É só não esperar muito realismo e embarcar nessa sede de vingança que tem como locação o balneário mais chique dos EUA, os Hamptons.

THE BRIDGE

Imagem

Eu assisti somente aos cinco primeiro episódios, porque né, tenho mais 11 séries pra ver, mas é bem legalzinha e vou voltar a ver assim que o midseason chegar. Baseada na série escandinava de mesmo nome, The Bridge  conta a história de um crime que ocorre em uma ponte que é a fronteira entre El Paso (Estados Unidos) e Juarez (México). Dois detetives, um de cada país, são encarregados pela  investigação.  Estrelado por  Diane Kruger e Demián Bichir . Curiosidade: a personagem de Krueger tem Aspergers.

THE NEWSROOM

Imagem

Nunca tinha prestado atenção nessa série , até pegar um voo diurno de 10 horas.  Na falta de uma opção melhor, acabei vendo metade de uma temporada de uma só vez.  E que surpresa boa!  A série de Aaron Sorkin ( de West Wing e do filme a Rede Social)  mostra os eventos de bastidores de um canal à cabo de notícias, principalmente do programa comandado por  Will McAvoy (Jeff Daniels – que só fui perceber que era o Lóide de Debi &Lóide na segunda temporada), que junto com sua equipe tenta colocar no ar um programa apesar de obstáculos pessoais, comerciais e corporativos. The Newsroom também é estrelada por  Emily MortimerJohn Gallagher, Jr.Alison Pill, Thomas Sadoski, Dev PatelOlivia Munn e Sam Waterston. Muito boa!

EN TERAPIA

Imagem

Todo mundo já deve ter ouvido falar de da versão americana In Treatment ou da versão brasileira  Sessão de Terapia . Optei por uma terceira versão, a argentina, também no Netflix. O intuito era praticar meu espanhol, mas acabei encontrando uma série de primeira! Aprendo tanto com cada episódio que quase equivale a uma sessão de terapia. Os episódios são curtinhos e nem parece que você ficou quase meia hora vendo duas pessoas conversarem! Para quem gosta de aprender sobre relacionamentos interpessoais  e quer desenferrujar o espanhol, é uma boa pedida! Recomendo!

HOMELAND

homeland-season-2-poster1

Claire Danes, que interpreta  a oficial de operações da CIA  Carrie Mathison , ganhou um Emmy de melhor atriz esse ano . Preciso admitir que a série, que  já foi irretocável nas duas primeiras temporadas, deslizou em alguns episódios da terceira e ficou difícil ter certeza que a recuperará o status de melhor série da vida . Mas o prazer em assistir permanece e confio que vai ficar tudo bem. É  (ou era?)daquelas séries que você termina sentado na ponta da cadeira e com a boca aberta!

PARENTHOOD

Parenthood - Season 4

Já falei sobre ela aqui também, série fofa que emociona,   daquelas que enchem o coração de alegria e nos fazem ter vontade de ter uns quatro filhos só pra ter uma família como aquela!

Despedida

3 out

Image

Que venha a chuva

Raios, trovões…

Que o vendaval derrube minhas ilusões e projetos

A terra me acolhe

Eu danço com ela

Eu deixo meu cabelo se misturar ao vento

Eu te enterro na minha dança

Eu me renovo

Eu uso meu punhal

Eu corto as partes que em mim ferem

As feridas ainda abertas, por anos, por vidas…

Consciente delas

As encaro, as respeito, as sinto

Te agradeço: a dor escondida é a que mais fere

Eu então vomito o velho…

Mais me vale a dor de ser profunda

Do que o ócio da superficialidade

Mais me vale acolher as emoções

Do que fugir do que me move por dentro

Eu rodo, eu suo, eu pulo, eu não tenho fim…

O suor me purifica, meu corpo me ampara

Minha dança é minha reza

Minha dança é meu Adeus

Meu coração segue aberto:

Adeus. 

Fly

19 set

Image

We are opposites

You are the Grandfather Sun’s son

I’m the Moon’s daughter

We meet at dawn

You expand

I hold you between my legs

You want to let go of what it was

I remind you of it so you can grow beyond

I am the witch I feared for so long

You are an unconscious wizard

I let you inside my dream world

I feel you getting high

You say my name to make sure I am still here

I take you to the mist

My eyes are open

Your eyes are open

Your eagle’s eyes

I let him fly me to the land where only our whispers can be heard

I let him fly you to where there is the silence of presence

I make you sit there

I leave you alone

You taste the unknown; you don’t know where to go

I come back; I sit in front of you

I hold the space you need to become

We change roles, both student and teacher

It is a dance

You call my name again

Yes, I am here

I guide you back to Earth

You let go of the bright rays of light

You open your eyes again,

Mine were never closed.

Mundo dos Sonhos

16 set

Image

Os tambores tocavam em um ritmo lento e profundo. O calor da fogueira fez com que pequenas gotas de suor nascessem entre seus seios.

Ela entrou na tenda com um suspiro longo.

Seu mestre a esperava .

Um faixo de fogo, suficiente pra iluminar as duas almas e refletir a sombra de seus corpos, chamou sua atenção.

Não tinha volta…

Sua jornada, suas escolhas, o processo…

Ele lhe deu uma faca.

“Corte a ponta do seu dedo indicador esquerdo. Com as gotas faça um círculo onde ambos caibamos”, disse.

Um rápido tremor correu seu corpo, mas ela seguiu as instruções.

“Tire seu vestido, mas deixe o cabelo solto”, ele determinou.

O pudor da nudez já não fazia mais parte daquela relação. Muitas Luas já haviam se passado onde ambos estavam nus, próximos, mas não para o que estava por vir.

“Entre no círculo. Sente-se. Inicie a meditação que fizemos da última vez”.

Ela assim o fez. Não sabia dizer se foi a vibração da música lá fora, se foi a intenção daquela cerimônia, se foi a Lua crescente banhando seus companheiros de jornada que, tocando tambores, sabiam o que aconteceria; mas foi rapidamente levada para uma área de vegetação densa. Avistou um templo de colunas brancas e douradas. Caminhando vagarosamente em sua direção, sentiu a presença de seu mestre. Continuaram andando em silêncio.

No templo centenas de pessoas os esperavam. Mais tambores, a Lua os seguia. Subiram as escadas do templo. Ambos vestidos de branco. No alto, uma espécie de palco coberto de peles de animais. Duas fogueiras, uma à esquerda e outra à direita, iluminavam o local. Tiraram suas roupas. A batida da música era frenética, mas um silêncio profundo ditava o ritual. Deitada, nua, sentiu a meia-lua surgindo como uma queimadura em seu terceiro olho. Voltara à sua essência.  Seu mestre a penetrou vagarosamente. Ela abriu a boca, seus olhos se fecharam por um momento. Era a hora de sentir. Os cântigos começaram e, apesar de pressentir a familiaridade de tudo aquilo, não lembrava mais como cantá-los.

Se deixou levar pelo ritmo. Seu corpo movia-se de acordo com a pressão do corpo dele, de acordo com a sensação de que o Divino estava em cada milímetro de prazer. A certeza de que o sexo continha o segredo da criação do Universo… O sexo continha o segredo da cura. Sentiu-se a Sacerdotisa que por muitas primaveras abeçoou o solo, as águas, o ar, as borboletas daquela região. Seus olhos abertos concentravam-se somente nos olhos de seu mestre. Seu cheiro lhe remetia a algo conhecido, algo que por muito tempo ela permitiu que lhe tomasse por inteira. Suas mãos deslizaram pelas costas dele e tornou-se impossível não soltar gemidos, suspiros, palavras que saiam de forma primitiva de sua boca. Sons que ela não lembrava de onde vinham. Uma prece de êxtase, de gozo. Nada podia roubar sua liberdade. Alí não existia restrição. Alí ela era.

Contida pela vibração do momento, não soube definir quanto tempo havia passado até o final da cerimônia. Gentilmente, seu mestre a vestiu novamente. Entregou-lhe um cesta de flores brancas, colocou algumas das flores em seu cabelo. Beijou seus olhos, beijou seu queixo, testa. Passou seus dedos em seu cabelo. Abraçou-a. Sabiam que o trabalho estava encerrado e que finalmente aquela comunidade voltaria a receber as bençãos da Deusa. De mãos dadas desceram as escadas. Os tambores haviam parado. Escutava-se apenas o barulho da brisa. Um beija-flor dourado e azul cruzou seus corpos duas vezes e desapareceu entre a multidão. Seguiram caminhando em direção à mata.

Ao abrir os olhos já era manhã. Seu mestre estava sentado a sua frente, dentro do círculo.

“Bom trabalho”, ele disse, com um sorriso nos lábios. 

Moon’s daughter

4 ago

Image

 

The gates are finally open and she urges for Beloved

The winter took her seeds away and it was only after the first bird greet at her window that she attempted to explore outside

The grass has a vibrant green color and wild flowers brought a butterfly garden to her home

She smiles at the orange butterfly, the masculine strength that reminds her of her power

She bows to the yellow butterfly, her feminine essence is alive in her womb again

She feels the earth playing with her feet and she starts spinning

Her arms are wide open, her hair dancing with the wind

She is alive

She is Love’s caretaker

She is the one with a lotus heart

She has no boundaries with her truth

She fears no darkness

She smiles to Spirit

She was born from a rose

She keeps all secrets from heaven

She speaks with the Owls

She makes music with her breath

She enters other dimensions

She always knew

She will always know

She is free from questions

She is free

She is the chosen one

Vídeo

Vida com mais satisfação? Pergunte-me como!!

29 jul

Inspiração vem de inspirar! Inspirar é trazer para dentro de si vida! O novo vídeo fala sobre a importância de cultivar a inspiração e de questionar-se de que forma você está inspirando as pessoas e o mundo ao seu redor! Espero que o vídeo seja inspirador e te ajude a ter mais clareza em relação às situações, ações, momentos ou pessoas que podem tornar sua vida melhor! E eu quero saber quais são as suas maiores inpiraçãoes! Por favor, participe e deixe um comentário aqui no blog! Beijo no coração e Namastê!

%d blogueiros gostam disto: