Tag Archives: curandeiro

As seis lições da doença e o poder da autocura

26 fev

Image

Somos todos curandeiros (as)! Incluindo você caro leitor (a). A palavra curandeiro, em geral, tem uma conotação negativa do Brasil. Acreditamos que somente alguém com um diploma e muitos anos de estudos tradicionais pode curar alguém (e olha que sou filha de dois médicos e os admiro mais do que tudo nessa vida…). Felizmente, as terapias holísticas e alternativas vem provando, por meio de pesquisas científicas, o poder e a eficácia de modalidades como reiki, florais, passes, yoga, alimentação natural, meditação, oração, etc… Vou além e afirmo que você tem a capacidade de autocura e de ser um veículo de cura para alguém que necessite.

Assisti um vídeo fantástico da China mostrando “médicos médiuns” fazendo um tumor maligno desaparecer em uma senhora somente com o poder da mente deles. Um ultra-som mostrou o tumor diminuindo até desaparecer conforme eles sintonizavam-se com o corpo da paciente e simplesmente enviavam pensamentos e energias de que o corpo dela estava curado, forte, e não continha nenhum tumor. Eu pessoalmente conheço uma pessoa que só curou leucemia após usar alimentação natural (principalmente sucos de espinafre e cenoura), meditação e pranayamas (exercícios respiratórios) que foram passados para ela por meio de um amigo que recebeu as instruções do guru dela (que morreu faz 3 anos) via meditação e sonhos. Hoje ela está curadinha, apesar de os médicos afirmarem que ela só teria mais 6 meses de vida…

A energia, o movimento corporal e a alimentação são fatores primordiais para se manter saudável e para a cura natural. No fim, tudo se resume a energia. O que você “carrega” nos seus pensamentos são energias, porque ativam seu cérebro, seus hormônios e neurotransmissores (afetando seu corpo e estado mental). O que você come é energia (literalmente, a comida vira energia no corpo e te mantém vivo – logo, você é o que come – muito cuidado!!). Mover o corpo é mover a energia dentro de você, que geralmente fica estagnada (gerando doenças) caso não seja ativada por meio de exercícios. Esse é o recado bem simplificado de como manter-se saudável!

A seguir enumero exemplos de aprendizados que pessoas que se curaram (por auto-cura ou até mesmo medicina tradicional) geralmente experienciam:

1)      A Fé na capacidade de cura. Fé inabalável – daquela que mesmo quando a mente começa a temer o futuro, você respira fundo e mantém no seu coração (que sabe bem mais do que a mente) a crença de que está curado e saudável!

2)      A Busca por entender qual é a lição a ser aprendida com a doença. Toda doença física se inicia no campo energético/mental e tem algum recado para nos dar. As lições podem ser variadas, tais como perdoar alguém (ou nós mesmos),  passar a confiar na nossa capacidade e força, servir como exemplo, ajudar pessoas com o mesmo desafio, mudar o rumo de nossas vidas, praticar paciência, entrega, etc…

3)      A Entrega ao Divino. Não importa sua religião ou crença, geralmente as doenças abrem nossos corações para a crença e confiança em algo maior e nos entregamos a essa força divina.

4)      A Mudança na visão do mundo. Quem sofre de alguma condição física geralmente, no decorrer do processo de cura, passa a enxergar a vida de forma diferente, apreciar cada momento, abrir o coração para ser ajudado (a), entender que tudo tem seu tempo…

5)      A Mudança no estilo de vida. Outra característica é a mudança de rotina, carreira, alimentação, cuidado com o corpo, modo de ser relacionar… Não conheço ninguém que se curou e não fez mudanças radicais em algum aspecto de suas vidas…

6)      A Gratidão. Não tem jeito, quando estamos doentes entendemos como somos abençoados por um corpo pefeito que, em geral, é muito saudável. A gratidão em casos de doenças sérias vem em vários aspectos da vida e são um reconhecimento dos pequenos presentes que a vida nos oferece diariamente e que só quando a “realidade” sai dos trilhos conseguimos enxergar… Enxergar o quanto o caminho era florido e passamos a dar valor a cada flor, cada aroma, cada sorriso, cada pessoa em nossas vidas, cada carinho, cada pausa que entra no nosso dia.

Espero que lendo esse texto não esperemos por uma doença para aprender tudo isso. O processo de acordar para nossa essência divina, nosso poder de autocura, nosso verdadeiro eu, acontece de forma muito mais saborosa quando feito sem dor, sem sofrimento. Um terapeuta querido costumava me dizer que podemos aprender pelo amor ou pela dor. Também espero que, assim como eu tenho trabalhado para escolher cada vez mais aprender pelo amor, você faça o mesmo! Beijo no coração e Namastê queridos curandeiros!!

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: