Tag Archives: rock

Lobão – o louco sensível

21 set

Para quem acompanhou a trajetória de Lobão com certo distanciamento, como eu, o livro autobiográfico ( Lobão: 50 anos a mil) traz revelações incríveis.

A vida de Lobão rendeu um livro  de mais de 500 páginas,  são tantas passagens e loucuras que em alguns momentos parece inverossímel. Aí entra o trabalho do jornalista Claudio Tognolli, que anexou ao relato documentos e matérias que comprovam as histórias narradas pelo músico.

Eu não sabia ( ou tinha esquecido) que ele fez parte da primeira formação da banda Blitz , mas acabou saindo antes do lançamento do disco.  Lobão começou a tocar aos 3 anos e aos 17 virou músico profissional.  Apesar de muito louco em todos os sentidos, o cara é brilhante como músico e conhecer sua trajetória é também conhecer a trajetória do rock brasileiro dos anos 80 e 90.

Apesar de seus hits ( Me chama, Vida Bandida, Rádio Blá, etc), o músico parece ter sofrido uma espécie de maldição e nunca conseguiu estourar nas vendas de seus discos. No livro dá pra entender a jornada da criação de seu selo independente e até simpatizar com a causa.

Ele também explica a antiga pendenga com Herbert Vianna de forma madura e lúcida. Assim como todas as outras polêmicas, como a prisão, as brigas com as gravadoras  e com as bandas da qual fez parte. Desfaz a imagem caricatural de Lobo Mau- brigão e polêmico- para mostrá-lo na verdade como um cara genial e doce, cujo único mal  foi ter sido muito louco ( hoje não usa mais drogas pesadas).   Além disso, mostrou o lado romântico incurável, já que Lobão passou anos se apaixonando perdidamente, emendando um relacionamento no outro, até encontrar a mulher da vida dele, Regina, com quem está casado até hoje.

Devorei o o livro ( na versão digital TOSCA da Saraiva -cheia de bugs) em 4 dias.  Mas tenho algumas reclamações a fazer. Na minha opinião faltou um editor. A narração pula de uma história para a outra sem aviso. Informações de datas dadas pelo autor em uma história, são desmentidas em seguida pelas matérias anexadas.  Ele mesmo se confunde e se perde no tempo, uma hora diz que foram três semanas, outra que foi numa semana só. Não consegui até agora saber quanto tempo ele ficou preso, pois no livro há umas três versões. Além disso, muita informação é jogada, incompleta,  e a gente tem que preencher as lacunas no youtube ou no google . É como se estivéssemos dentro do cérebro doidão do músico, que dispara sua metralhadora de pensamentos sem pausa.

Além disso, muitas matérias anexadas falam exatamente a mesma coisa, o recurso acaba cansando.

Ainda assim, é leitura recomendada para quem gosta de rock ou quer saber mais sobre a música nos anos 80 e 90.

Curiosidades:

– Lobão namorou a Monique Evans

– Ele tentou se matar mais de uma vez

– Quando João Gilberto ligou para ele pedindo para regravar o sucesso Me Chama, ele estava completamente chapado e quase não entendeu a conversa

– Lobão se apresentou no Faustão no domingo de eleições presidenciais em 89 e cometeu um crime eleitoral ao pedir ao público que votasse no Lula

– Foi ele que criou o nome Blitz para a banda

– Ele foi apaixonado pela Marina Lima, mas por motivos óbvios não rolou nada

– Esse clipe abaixo foi gravado pela Globo no tempo que Lobão passou preso por porte de drogas

E aqui o vídeo dele no Faustão

Legião Day

6 set

Sempre ouvi dos mais rockers e entendidos de música que Legião Urbana era meio baba, que só precisa de dois acordes para tocar e blá blá blá. Eu não entendo nada de música, mas tenho certeza que independente de quantos acordes existem em suas músicas, pouquíssimas bandas de rock brasileiras atravessaram gerações como o Legião ( ok, sei que o certo é no feminino, mas não consigo, me soa muito estranho).

Todo mundo sabe ao menos uma música deles de cor. É instintivo. Eu sei quase todas. E não tô nem aí para o que dizem, para o que é hypster ou hype no mundo da música. Eu A -D-O-R-O   Legião. Falar que o Renato Russo é um poeta e cair no óbvio, eu sei, mas dá para dizer que ele foi um letrista comum?

As músicas e as letras do Legião Urbana foram o background da minha adolescência. Tudo que fiz dos 13 aos 18 anos teve a banda como trilha sonora.  Faz parte de quem sou, da minha história.  E ouvi-los me traz um caminhão de nostalgia. Mas uma saudade boa, lembranças doces e que enchem o coração de alegria, pois significam que eu vivi!

Eu sou da época que saber a letra de Faroeste Caboclo inteirinha era o mais cool que alguém podia chegar a ser!   Saber Eduardo e Mônica também ganhava pontos na escala social. Tem música que levanta o astral, tem música que dá vontade de chorar.

Fico bastante tempo sem ouvir, mas quando ouço uma só música, já dá vontade de ouvir e cantar todas as outras. E é o que estou fazendo hoje. Declarei o Legião Day aqui no meu home office.

Então é isso, estou sem inspiração alguma para um post elaborado e como acordei ouvindo todos os CDs do Legião, estou contaminada e deu vontade de compartilhar.

Para mim essa letra é a coisa mais linda do mundo!

Enjoy e bom feriado.

Índios

 

Aquió, tem um post bem divertido sobre legião, me rendeu boas risadas: http://vidaordinaria.com/2010/09/entendendo-legiao-urbana/

Quem vê cara não vê coração

29 out

Alice Cooper, sem maquiagem. Se eu colocasse uma foto dele montado vocês iriam assustar.

Pra quem não sabe eu sofro de insônia. E sofrer é um verbo bem apropriado. Isso é assunto para um post inteiro, mas não agora. Hoje quero apenas dizer que adquiri um hábito recentemente, durante minhas insônias, buscar novos sons no youtube. Novos para mim, claro. Descubro bandas e cantores, ouço músicas que já tinha ouvido e não lembrava, conheço coisas que me foram indicadas. Uma coisa leva a outra e dá pra passar horas indo de um vídeo ao outro. Bom, digamos que isso não ajuda muito a insônia, mas pelo menos tenho tido boas surpresas.

Alguém aí conhece Alice Cooper? O nome me era familiar ( tive um namorado com gosto esquisito para música ), mas a cara do tiozinho, meio Ozzy Osbourne cover não me dava lá muita vontade de ir a fundo. Pois bem, numa dessas incursões pelo youtube nas madrugadas da vida, resolvi ouvir e não é que o som é bacana? Achei que fosse um rock pesado, mas não é. Tem várias coisas legais, antigas e escolhi a mais ” baladinha” para colocar aqui. Chama Only my heart talking . 

Prova irrefutável de que quem vê cara não vê coração!  ( Tá Lívia, pode dizer que meu gosto é estranho, ok)

Enjoy e bom feriado!

Ideologia, eu quero uma pra viver

12 jul

Daniel Oliveira impecável no papel de Cazuza

Semana passada, mais precisamente no dia  sete de julho, fez vinte anos que Cazuza morreu. Essa data me despertou para duas coisas.  A primeira: estou ficando velha – hahaha. Eu era uma pré-adolescente e me lembro perfeitamente da matéria de capa da Veja na qual ele assumia ter AIDS. Era a primeira pessoa pública a falar sobre o assunto abertamente.  Lembro de me sentir terrivelmente triste e imensamente vidrada  naquele cara!

A capa fatídica, anunciando a doença

 A segunda: Ainda não houve outro compositor/ artista que se comparasse a Cazuza desde então ( Renato Russo não veio depois, mas junto, então não conta).  Suas letras e músicas são atemporais. Posso escutar  seus cds 800 mil vezes e dali uma semana ouvir de novo, sem me cansar.

Duas décadas, dois filmes ( Cazuza, O filme e Cazuza : sonho de uma noite no Leblon),  um episódio de Por Toda Minha Vida e alguns livros depois ,  o interesse sobre a vida e obra desse poeta não se esgotam. Para mim, a melhor maneira de entender um pouco do Cazuza continua sendo por meio de suas letras.

Ele é símbolo de uma geração sem causa, que ia mudar o mundo, mas acabou assistindo a tudo em cima do muro, pagando a conta do analista pra não precisar saber quem é.

Uma geração que tem tédio de gente careta, babaca e covarde. Mas não deixa de pedir piedade para as pessoas de alma bem pequena que ficam remoendo seus pequenos problemas, querendo sempre aquilo que não têm. Porque a vida (louca) vida é breve.

Ninguém compreendeu e traduziu tão perfeitamente a alma de uma pessoa apaixonada como ele. Quem nunca inventou uma amor pra se distrair? Ou pensou que poderia até ficar sem respirar se alguém não te notasse, pois aquele era o amor da sua vida dali até a eternidade?

Precisa de trilha sonora pra se declarar pra alguém? Tem duas opções: Espontânea – “Quando um certo alguém, desperta o sentimento, é melhor não resistir e se entregar” ou bem romântica –  “Eu preciso dizer que te amo, te ganhar ou perder sem engano”.

E diz aí, sendo bem sincero, você NUNCA ouviu essa música e lembrou de um (a) ex: 

“Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou…”

Enfim, tem Cazuza pra todo gosto e ocasião. Escolha o seu! Mas corre, porque o tempo não para. Não para!

%d blogueiros gostam disto: